Clique aqui e veja as últimas notícias!

CHAPADÃO DO SUL

Estudo da UFMS descobre maior produtividade em soja plantada com antecedência

De acordo com a pesquisa, a soja plantada com antecedência, em 23 de setembro de 2020, alcançou produtividade média de 92,4 sacas por hectare (sc/ha)
11/04/2021 17:02 - Gabrielle Tavares


Pesquisa realizada pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) avaliou o desenvolvimento da soja plantada em diferentes épocas durante a safra 2020/2021, sob sistema de cultivo irrigado na região sul do Estado.

A soja plantada com antecedência, em 23 de setembro de 2020, alcançou produtividade média de 92,4 sacas por hectare (sc/ha), valor superior aos obtidos normalmente na região, que ficam em torno de 84 sc/ha. 

O responsável pelo estudo é o professor Ricardo Gava, que desenvolveu o projeto na unidade da UFMS em Chapadão do Sul. Ele explicou que as chuvas costumam se regularizar na segunda quinzena de outubro, contudo, quanto mais cedo o plantio da soja, mais segurança dará para a safrinha, seja ela de milho ou algodão.

Últimas notícias

"As chuvas param em abril/maio. O vazio sanitário para soja em nossa região acaba em 15 de setembro e os produtores muitas vezes só não iniciam o plantio nessa data por causa das chuvas, mas se você tem irrigação, pode começar sem medo”.

O estudo apontou ainda 15 de outubro como a data ideal para soja, “mas pensando-se em um sistema de produção safra/safrinha, poder antecipar o início da safra é muito interessante”, opina.

A pesquisa foi realizada em parceria com o Grupo de Pesquisa em Viabilidade Econômica de Irrigação, a empresa Desafios Agro e o Instituto de Pesquisa e Inovação na Agricultura Irrigada (Inovagri). Além de ter a participação de estudantes da graduação e da pós-graduação em Agronomia da UFMS e de doutorado da Universidade Estadual de São Paulo (Unesp).

Os primeiros dados foram levantados nesta safra, mas o grupo continuará a pesquisa nos próximos anos. 

“Tendo em vista que a fonte de renda e empregos de nossa região é a agropecuária e a soja tem grande papel, e que o principal fator de quebras de safras é o clima, com instabilidade das chuvas, elaboramos um estudo com diferentes datas de plantio”, explicou Gava.