Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MOTOMAIS

Coluna semanal com dicas <br>e novidades sobre motos

Coluna semanal com dicas <br>e novidades sobre motos
15/11/2019 06:30 - EDMUNDO DANTAS/Agência Automotrix


Novos caminhos
No EICMA 2019, mais conhecido como Salão de Milão, realizado no início de novembro, a Harley-Davidson mostrou diversas novidades. Um das mais instigantes era a Bronx 975, uma naked bem distantes das tourings, customs e cruisers que fizeram a fama da marca norte-americana. A moto vem equipada com o novo motor V-Twin 60º Revolution Max de 975 cm³ arrefecido a líquido, que disponibiliza 115 cavalos de potência e 9,68 kgfm de torque. O design segue o estilo streetfighter, no qual tudo está exposto, inclusive o motor. A nova moto chegará ao mercado internacional, inclusive ao Brasil, no final de 2020. Provavelmente, será montada na fábrica da marca na Zona Franca de Manaus, no Amazonas.

Outro tom
A Aprilia RS 660 foi lançada oficialmente no Salão de Milão, que aconteceu no início de novembro. Na ocasião, a marca italiana comunicou que a esportiva seria a primeira de uma nova família de motos com motor de dois cilindros. No mesmo evento, a marca exibiu também a moto-conceito Tuono 660, naked com o mesmo “powertrain” da RS 660 e que tem tudo para ser o próximo membro da nova família de média cilindrada. Apesar de manter o mesmo motor, a potência da Tuono 660 é inferior à da RS 660 – são 96 cavalos ante 101 cavalos da esportiva original. A reduzida carenagem da Tuono 660 conta com elementos aerodinâmicos semelhantes aos da RS 660. Os freios também são da Brembo. A Tuono incorpora pedaleiras para o garupa, inexistentes na RS 660. Painel e pacote eletrônico são os mesmos para ambas as motos. A Aprilia ainda não definiu a data de apresentação da versão definitiva da Tuono 660.

Expresso do Oriente
A japonesa Kawasaki levou ao Salão de Milão uma nova Hyper Naked com motor turbo para integrar a família Z. A nova Z H2 tem motor e diversas tecnologias derivados da superesportiva Kawasaki H2R. O design é esguio e o peso fica em 239 quilos, dezessete quilos mais leve que a H2 SX. O motor é um quatro cilindros de 998 cm³ sobrealimentado que entrega quase 200 cavalos de potência e um torque de 13,8 kgfm a 8.500 rpm. A moto traz três modos de pilotagem, central IMU para controle de tração e ABS, controle de largada e piloto automático. Suspensões Showa e freios Brembo garantem uma performance segura. O painel TFT de 4,3 polegadas permite conexão Bluetooth e disponibiliza informações de bordo, GPS e até notificações do celular.

“Troppo bella”
Considerada por muitos que estiveram no Salão de Milão 2019 como a motocicleta mais bela do mundo, a MV Agusta Brutale 1000 RR ostenta um design indiscutivelmente italiano. É movida por um motor que alcança 208 cavalos a 13 mil giros e torque de 11,87 kgm a 11 mil rpm. Suspensões ativas, amortecedor de direção eletrônico Öhlin, pinças de freio dianteiro Brembo Stylema e discos de 320 milímetros com ABS 9 Plus da Bosch garantem estabilidade e performance. Todo o aparato eletrônico da Brutale 1000 RR pode ser personalizado usando o aplicativo para smartphone MV Ride. O aplicativo da MV Agusta cria e salva rotas, escolhe músicas e atende a chamadas. Na Europa, a moto será comercializada por 30 mil euros, cerca de R$ 137 mil.

 

Felpuda


Os bastidores fervem com a ciumeira que vem acontecendo em alguns municípios, onde determinados candidatos estariam sendo mais prestigiados que outros depois das alianças que foram formalizadas nas convenções. As queixas só aumentam, e as lideranças partidárias já não sabem o que fazer, temendo a possibilidade de que a vitória vá para o ralo. A bronca maior está entre integrantes das chapas puras de vereadores que se coligaram na majoritária. E salve-se quem puder!