Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORREIO VEÍCULOS

Novas regras e carros mais seguros

Controle de estabilidade, cinto de três pontos, apoio de cabeça e Isofix passam a ser obrigatórios
07/01/2020 09:21 - LEANDRO GAMEIRO


 

A partir do próximo dia 29, novos projetos de veículos devem ter, obrigatoriamente, esses itens, pois já passam a valer duas novas resoluções do Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN).

 

Assim, os carros lançados a partir de 2020 devem vir, de série, com controle de estabilidade, que se enquadra nos aparatos de segurança ativa - aquela que age para evitar acidentes e não para reduzir os danos.

Controle de estabilidade com adoção obrigatório prevista para 2022

A lei foi criada em 2015 e a resolução n° 567 já passou a exigir obrigatoriedade em alguns modelos. Em 2016, a resolução n° 641 decidiu exigir para todos os modelos, sejam novos ou que irão passar por grandes mudanças, como troca de geração, assim como para veículos que já estão em linha no Brasil e receberão atualizações menores, como, por exemplo, uma reestilização. A adoção obrigatória do controle de estabilidade está prevista para 2022. Vale lembrar que este item já é obrigatório há alguns anos na Europa e Estados Unidos.

Isofix obrigatório

Uma outra resolução, publicada também em 2015 pelo CONTRAN, de número 518, passa a valer no dia 29 de janeiro. Ela estabelece que todos os veículos vendidos no Brasil, tenham itens como cintos de segurança de três pontos e apoios de cabeça para todos os ocupantes. Além disso, os modelos devem oferecer fixação para cadeirinhas de bebê, tipo Isofix.

Ao contrário da outra resolução, essa já passa a valer no final deste mês, independentemente de serem novos projetos ou modelos já existentes. Todos os veículos novos deverão ter os cintos, os encostos e pontos de fixação para cadeirinha.

Felpuda


Figurinha está trabalhando intensamente para tentar eleger a esposa como prefeita de município do interior.

Até aí, uma iniciativa elogiável. Uns e outros, porém, têm dito por aí que seria de bom tom ele não ensinar a ela, caso seja eleita, como tentar fraudar folha de frequência de servidores. 

Afinal, assim como ele foi flagrado em conversa a respeito com outro colega, não seria nada recomendável e poderia trazer sérias consequências. Só!