CorreioPod

PODCAST CORREIO RURAL

Como está o milho da segunda safra

Situação atual da segunda safra de milho no Brasil: clima seco favorece colheita no Paraná e Goiás, enquanto restrição hídrica afeta Minas Gerais e Maranhão

Continue lendo...

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou recentemente um levantamento detalhado sobre a situação da segunda safra de milho no Brasil. As informações cobrem as principais regiões produtoras, destacando o estágio das lavouras e as condições climáticas que afetam o desenvolvimento do milho.

Ouça no Spotify na íntegra:

 

Mato Grosso: Colheita Iniciada

Em Mato Grosso, a colheita do milho já começou, especialmente nas áreas irrigadas. Nas demais áreas, as lavouras estão em estágio de enchimento de grãos e maturação, apresentando boas condições apesar do clima mais seco.

Paraná: Colheita Favorecida pelo Clima

No Paraná, a maioria das lavouras está em enchimento de grãos e maturação. O clima seco em algumas regiões está favorecendo o início da colheita, indicando uma boa expectativa para a produção.

Goiás: Aceleramento do Ciclo

Em Goiás, a colheita foi iniciada na região sul. No entanto, a maioria das lavouras ainda está em enchimento de grãos e maturação. A baixa umidade do solo afetou as lavouras mais tardias, acelerando o ciclo da cultura e exigindo atenção redobrada dos produtores.

Mato Grosso do Sul: Clima Seco e Chuvas Pontuais

No Mato Grosso do Sul, a colheita também já começou. A maioria das lavouras está em enchimento de grãos e maturação, com algumas áreas mais tardias em floração e desenvolvimento vegetativo. O clima tem sido majoritariamente seco, com chuvas significativas registradas apenas na última semana do mês, principalmente nas regiões sudoeste e leste do estado.

Minas Gerais e Bahia: Condições Climáticas Diversas

Em Minas Gerais, a ausência de chuvas tem afetado as lavouras, que estão em fase crítica de floração e enchimento de grãos. No Triângulo Mineiro, há registros de lavouras com acamamento. Na Bahia, as lavouras estão em fase de enchimento de grãos e apresentam boas condições gerais.

Impactos no Desenvolvimento do Milho

O período de escassez de chuvas nas principais regiões produtoras, como São Paulo e Maranhão, está comprometendo o desenvolvimento das lavouras que estão em enchimento de grãos e maturação. No Maranhão, a restrição hídrica tem sido um fator limitante para o desenvolvimento das lavouras, especialmente aquelas em floração e enchimento de grãos.

Essas informações fornecem um panorama abrangente da situação atual da segunda safra de milho no Brasil, destacando os desafios e as condições climáticas que influenciam a produção em cada região.


 

podcast correio rural

André Dobashi: os dilemas da moratória da soja

Descubra os desafios e discussões em torno da moratória da soja no Brasil. Saiba como esse acordo impacta produtores rurais e as propostas para garantir a sustentabilidade no agronegócio

27/05/2024 05h00

PODCAST CORREIO 1920X1080

PODCAST CORREIO 1920X1080

Continue Lendo...

O que é a Moratória da Soja?

Estabelecida em 2006, a moratória da soja é um compromisso firmado por empresas para não adquirir soja de propriedades que realizaram desmatamento após julho de 2008.

O objetivo inicial era promover a sustentabilidade e combater o desmatamento ilegal na Amazônia.

Problemas e Injustiças

Apesar das boas intenções, a moratória tem causado problemas para muitos produtores rurais.

A tecnologia utilizada para monitorar o desmatamento não é infalível, resultando em injustiças como a interdição de propriedades que não realizaram desmatamento ilegal ou que desmataram legalmente pequenas porções de suas terras.

Reunião em Cuiabá: Avanços e Propostas

No dia 10 de maio, em Cuiabá, representantes da CNA, Aprosoja, BIOV e ANEC se reuniram para discutir a moratória. Entre os avanços, destacam-se a discussão sobre a legalidade do desmatamento e a necessidade de distinguir entre desmatamento legal e ilegal. Foi proposto que apenas áreas desmatadas ilegalmente sejam excluídas do acordo.

A Importância da Legalidade e Sustentabilidade

Os produtores que cumprem as rigorosas exigências do Código Florestal Brasileiro, que é um dos mais exigentes do mundo, deveriam ter o direito de comercializar sua produção.

A conversão de áreas degradadas em sistemas produtivos, muitas vezes confundida com desmatamento, é um exemplo de práticas sustentáveis que devem ser reconhecidas e incentivadas.

Conclusão

A moratória da soja, apesar de sua importância na promoção da sustentabilidade, precisa de ajustes para evitar injustiças e garantir que produtores que seguem a lei não sejam prejudicados.

O diálogo contínuo entre todos os atores envolvidos é essencial para o desenvolvimento sustentável do agronegócio brasileiro.

CorreioPod

MS Impulsiona Exportações de Soja e Milho no Primeiro Trimestre de 2024

Esse incremento resultou em 1,3 milhão de toneladas de soja exportadas, totalizando um aumento de US$ 126 milhões em valor monetário

20/05/2024 05h00

PODCAST CORREIO 1920X1080

PODCAST CORREIO 1920X1080

Continue Lendo...

No primeiro trimestre de 2024, o Mato Grosso do Sul registrou um notável volume de exportação de grãos, alcançando dois milhões de toneladas entre soja e milho. Este desempenho gerou um retorno financeiro significativo, totalizando aproximadamente US$ 760,9 milhões.

Detalhamento dos Grãos Exportados:

A soja, principal produto exportado pelo estado, representou uma grande parte deste volume, com um aumento de 30% em relação ao mesmo período do ano anterior. Esse incremento resultou em 1,3 milhão de toneladas de soja exportadas, totalizando um aumento de US$ 126 milhões em valor monetário. O mercado chinês foi o maior consumidor, absorvendo 82% do volume exportado.

Comparativo com o Milho:

Em contraste com a soja, as exportações de milho apresentaram uma queda tanto em volume quanto em valor monetário, reduzindo-se em 44% e 55% respectivamente, em relação ao primeiro trimestre de 2023. A China também foi o principal mercado para o milho, seguida de perto por Coreia do Sul e Japão.

Ouça na íntegra no Spotify:

 

Análise do Mercado e Perspectivas Futuras:

Jorge Michele, presidente da AproSoja MS, explicou que o aumento das exportações deve-se ao grande estoque da safra anterior e à forte demanda asiática, principalmente da China. Este cenário sugere um alinhamento estratégico do estado para capitalizar sobre as oportunidades de mercado externo, posicionando o Mato Grosso do Sul como um líder em exportações agrícolas no Brasil.

Conclusão e Impacto Econômico:

As exportações robustas de soja e milho do Mato Grosso do Sul destacam a importância do agronegócio para a economia do estado e sublinham a capacidade de adaptação e resposta aos mercados internacionais. Este desempenho sinaliza um ano promissor para os produtores locais e para o comércio exterior brasileiro.

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).