Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

HUB DE CARGAS

Aeroporto da Capital já transportou 3,5 mil toneladas em 2019

Diferença com o acumulado total registrado em 2018 é de apenas 2,38%
15/12/2019 17:15 - RICARDO CAMPOS JR.


 

De janeiro a novembro circularam 3,5 mil toneladas de mercadorias pelo Aeroporto Internacional de Campo Grande. Dados da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) apontam crescimento de 10,66% em relação a outubro no tocante ao transporte de cargas no pátio.

Conforme o relatório, a diferença entre o acumulado de 2019 e o total registrado em 2018 é de apenas 2,38%. Isso indica que são grandes as chances da cidade bater o recorde.

Ainda segundo a Infraero, outros números que medem o uso do terminal da capital sul-mato-grossenses não revelam situação tão otimista. O volume de passageiros transportados em novembro foi 12,63% menor em comparação com outubro. Essa foi a segunda maior queda do ano, perdendo apenas para a variação negativa de 21,50% entre janeiro e fevereiro.

No mês passado, 117.496 pessoas deixaram ou chegaram de avião na cidade, que somadas aos registros anteriores resultam em acumulado de 1.386.712 passageiros.

Com menos gente viajando de avião, a quantidade de aeronaves que trafegaram em Campo Grande também despencou. Decolaram ou pousaram na cidade um total de 1.362 voos em novembro contra 1.558 em outubro. Essa variação resultou em queda de 12,58%.

Levando em consideração o acumulado deste ano, o tráfego aéreo na cidade foi de 16.678 aviões. Em comparação com o mesmo período do ano passado, o número atual está 6,39% menor. Já em relação ao acumulado total de 2018, o movimento está 13,84% aquém dos 19.357 pousos e decolagens registrados.

Felpuda


Depois de se “leiloar” durante meses, e afirmando que estava até escolhendo o município para se candidatar a prefeito, ex-cabeça coroada não só não recebeu acenos amistosos, como também não encontrou portas abertas com tapete vermelho a esperá-lo. 

Assim, deverá pendurar as chuteiras e fazer como cardume em seu pesqueiro: nada, nada...