Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PACOTE DE AJUDA

Tesouro Nacional vai liberar R$ 40 bilhões para empresas pagarem salários

Transferência será direta na conta do trabalhador, objetivo é preservar empregos; veja os detalhes
27/03/2020 11:32 - Eduardo Miranda


O governo federal anunciou, na manhã desta sexta-feira (26), ajuda a pequenas e médias empresas para preservar empregos e garantir o pagamento dos salários de seus funcionários. Em parceria com bancos privados, o Tesouro Nacional vai transferir diretamente para a conta dos funcionários, os ganhos mensais no limite de até dois salários mínimos. A linha de crédito vale por dois meses.  

Conforme o presidente do Banco Central do Brasil, Roberto Campos Neto, serão R$ 20 bilhões por mês (R$ 40 bilhões no período). Deste montante, 85% virá diretamente do Tesouro Nacional, 15% dos bancos privados, que segundo o presidente do BC, são parceiros no programa.  

As empresas que aderirem ao programa tomarão o crédito a uma taxa de 3,75% ao ano (Taxa Selic). “É um juro com zero de spread”, diz Campos Neto. A adesão ao programa impede a empresa de realizar demissões no período de dois meses, durante as transferências de recursos.  

Campos Neto frisou que os recursos irão do Tesouro Nacional diretamente para a conta dos funcionários, sem passar por bancos e empresas. Salários no valor de até dois salários mínimos (aproximadamente R$ 2 mil) serão transferidos diretamente ao funcionário. “Para dar alívio aos caixas das empresas, os funcionários que ganham mais que isso terão o valor complementado pela empresa”, explicou Campos Neto.  

Estão aptas para participar empresas que faturam entre R$ 360  mil e R$ 10 milhões por ano. O prazo de carência é de seis meses, e o pagamento do crédito poderá ser feito em até 36 parcelas. O crédito será operacionalizado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), e a adesão e negociação serão feitas pelos bancos privados, onde as empresas já operam suas respectivas folhas de pagamento.  

Campos Neto lembrou que o programa de socorro a pequenos e médios empresários deve estar disponível em até 15 dias. Há a possibilidade de o programa já ser formatado na semana que vem. 

Felpuda


Apressadas que só, figurinhas tentaram se “apoderar” do protagonismo de decisão administrativa. Não ficaram sequer vermelhas quando se assanharam todas para dizer que tinham sido responsáveis pela assinatura de documento que, aliás, era uma medida estabelecida desde 2019. Quem viu o agito da dupla não pode deixar de se lembrar daquele pássaro da espécie Molothrus bonarienses, mais conhecido como chupim, mesmo. Afe!