Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

RETOMADA

Arrecadação da prefeitura tem recuperação após reabertura do comércio

Lojas fechadas derrubaram receita diária em 80%; após retorno das atividades queda é de 35%
14/04/2020 18:33 - Súzan Benites


No início do isolamento social, com todos os segmentos de atividade econômica fechados, a prefeitura teve queda de 80% na arrecadação diária. Com a retomada gradual de algumas atividades, como a reabertura do comércio no dia 6 de abril, a arrecadação municipal registra 35% de redução em relação ao período anterior a paralisação da atividade comercial.

Segundo o titular da Secretaria Municipal de Finanças e Planejamento (Sefin), Pedro Pedrossian Neto, em dias normais, que não há vencimento dos tributos, a arrecadação da Prefeitura é de cerca de R$ 2 milhões. Entretanto, nos dias de paralisação da economia por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19),não foram arrecadados mais de R$ 300 mil diariamente, queda de 85%.

“No primeiro momento de 15 a 30 de março nossa arrecadação caiu para R$ 300 mil diários. Com a retomada parcial das atividades estamos arrecadando cerca de R$ 1,3 milhão por dia, em dias normais a média é de R$ 2 milhões”, explica Pedrossian Neto.

O secretário afirmou que ainda não sabe o valor total dos prejuízos e que ainda não é possível fazer um planejamento a longo prazo. “Não dá para fazer um planejamento futuro, estamos vivendo cada dia de uma vez”, reforçou Pedrossian Neto.

Para o secretário de Finanças este não é o momento para intensificar a fiscalização contra os sonegadores de impostos. “Acreditamos que aos poucos vamos ter a volta da atividade econômica, mas não adianta agora querer fazer fiscalização de ISS (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza), temos que ter bom senso nesse momento. Campo Grande já não estava com uma situação financeira confortável, agora com a queda ficou ainda pior, mas não é assim que retomamos”, pontuou o secretário.

DECRETO

O decreto 14.200 foi publicado no dia 19 de março determinando a suspensão do atendimento presencial ao público em estabelecimentos comerciais e o funcionamento de casas noturnas e outros voltados à realização de festas, eventos ou recepções. A medida começou a valer a partir do dia 21 de março.

Com isso, apenas os estabelecimentos classificados com essenciais, como supermercados e farmácias, poderiam permanecer abertos, o que obrigou muitas empresas passaram a funcionar apenas com entregas, o que também reduziu as compras. 

Depois de 15 dias de quarentena, com todo o comércio considerado não essencial fechado, Campo Grande retomou, aos poucos, a permissão de abertura das lojas a partir do dia 6 de abril.

A Prefeitura de Campo Grande determinou, por meio de resolução publicada no dia 3 de abril, o plano de diretrizes com base em critérios de biossegurança para o enfrentamento da Covid-19 nas atividades econômicas e sociais da Capital, além do decreto 14.231, que permitiu a abertura do comércio.

 

Felpuda


Embora embalada por vários “ex”, pré-candidatura a prefeito de esforçada figura não deslancha. É claro que ninguém ousa falar em voz alta que o apoio, em vez de alavancar os índices com o eleitorado, está é puxando para baixo. Uns dizem que o título do filme “Eu Sei O Que Vocês Fizeram no Verão Passado” retrata bem a situação. Outros complementam: “... na primavera, no outono, no inverno...”. Como diria vovó: “Aqui você planta, aqui você colhe!”.