Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

DESENVOLVIMENTO

Bataguassu terá indústria de plástico biodegradável a partir da batata doce

Fábrica vai ativar a Zona de Processamento de Exportação, que é uma área de livre comércio com o exterior
04/02/2020 18:32 - SÚZAN BENITES


Foi aprovado pelo Ministério da Economia, o primeiro projeto industrial da Zona de Processamento de Exportação (ZPE) implantada no município de Bataguassu. A partir disso, Mato Grosso do Sul passa a contar com uma ZPE ativa e a primeira indústria de plástico biodegradável a partir da batata doce.

De acordo com o secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, a Zona de Processamento de Exportação é um espaço onde as indústrias operam com benefícios tributários, cambiais e administrativos, com contrapartida de exportar no mínimo 80% da produção.

“Este é um pontapé inicial muito importante para que outras indústrias venham se instalar na ZPE de Bataguassu, que é um empreendimento privado. Mato Grosso do Sul passará a ter uma indústria de tecnologia inovadora e diferenciada, na linha em que o mundo está demandando”, explica Verruck.

Entre as atribuições, a indústria vai exportar xarope de dextrose de batata doce e maltodextrina de batata doce e tem 90 dias a partir da publicação da aprovação para iniciar a instalação na ZPE. Instituída em 2010, a ZPE de Bataguassu pertence ao grupo EGEZPE, possui uma área total de 2 milhões de m² com capacidade de duplicar a área, que é totalmente alfandegada.

A Zona de Processamento e Exportação de Bataguassu é uma área de livre comércio com o exterior, é um distrito industrial, destinado à instalação de empresas a serem beneficiadas com a suspensão de impostos para exportar, instaladas na forma de condomínio, especialmente voltado para a produção e industrialização de bens, a serem comercializados no exterior, sendo consideradas zonas primárias para efeito de controle aduaneiro.

 

Felpuda


Esforços vêm sendo feitos por certos candidatos derrotados na tentativa de conseguir emplacar em cargos públicos comissionados alguns ex-integrantes das equipes de trabalho da campanha eleitoral.

A preocupação não seria, na realidade, com situação de dificuldades que essas pessoas enfrentariam a partir de agora, mas, sim, para livrarem-se de pagar pendências trabalhistas referentes ao período da disputa. Tem cada uma!