Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ECONOMIA

BNDES devolve R$ 100 bi ao Tesouro<br> e dívida bruta tem queda

BNDES devolve R$ 100 bi ao Tesouro<br> e dívida bruta tem queda
23/12/2016 18:46 - FOLHAPRESS


O Tesouro Nacional informou nesta sexta-feira (23) que o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) fez o pagamento de R$ 100 bilhões. O valor corresponde a 1,6% do PIB, que será abatido da dívida bruta, hoje em 70,3% do PIB (R$ 4,3 trilhões).

O montante representa 18,7% do passivo de R$ 532 bilhões, referente a contratos firmados entre 2008 e 2014, quando o governo fez empréstimos ao BNDES para que o banco de fomento repassasse a juros baratos para empresas.

Em novembro, o TCU (Tribunal de Contas da União) autorizou o BNDES a devolver ao governo federal esse valor. A exigência foi de que os recursos sejam usados exclusivamente para reduzir a dívida pública.

O Ministério da Fazenda avaliou, por meio de nota, que "a operação é importante componente do programa de ajuste fiscal do governo federal e resulta em melhora substancial e imediata no nível de endividamento".

O secretário de acompanhamento econômico do Ministério da Fazenda, Mansueto Almeida, comentou o assunto em sua conta no Twitter. "Mesmo com pagamento de hoje de R$ 100 bi ao Tesouro, BNDES ficará com mais de R$ 100 bi em caixa, que vai aumentar ainda mais", escreveu.

Dos R$ 100 bilhões, R$ 60 bilhões firam pagos em dinheiro e R$ 40 bilhões foram liquidados em títulos públicos. "Os títulos foram imediatamente cancelados e os recursos financeiros serão utilizados exclusivamente para o pagamento de dívida pública em mercado", informou o Tesouro Nacional.

Felpuda


Mesmo sabendo que não é fácil conquistar a vitória, alguns políticos em pleno exercício do mandato disputam eleições, querendo trocar o Legislativo pelo Executivo e se dizendo preocupados com as necessidades do município. 

A jogada é antiga: fazem campanha eleitoral antecipada, pois vão tentar a reeleição, e começam a “trabalhar” o nome desde já. É bom lembrar o dito popular: “De boas intenções o inferno está cheio”. Ah, o poder!