Economia
MERCADO FINANCEIRO

Bolsas nos EUA recuam 4% e têm maior queda desde junho de 2020

Riscos relacionados à inflação e ao crescimento da atividade econômica em escala global voltaram a pesar no humor dos investidores

FOLHAPRESS

18/05/2022 20:00

O sentimento de maior cautela voltou a dar o tom nos mercados financeiros nesta quarta-feira (18), com queda das Bolsas globais e nos preços das commodities. Riscos relacionados à inflação e ao crescimento da atividade econômica em escala global voltaram a pesar no humor dos investidores.

As Bolsas americanas registraram os piores recuos desde junho de 2020. O S&P 500 marcou desvalorização de 4,04%, o Dow Jones, 3,57%, enquanto o Nasdaq recuou 4,73%.

No Brasil, o Ibovespa encerrou o dia em baixa de 2,34%, aos 106.247 pontos, puxado para baixo pelas ações de commodities e dos grandes bancos. Foi a primeira queda após cinco sessões consecutivas de alta.

O desempenho ruim nesta quarta mostra uma mudança de humor dos investidores em relação à véspera, quando o apetite ao risco dominou os mercados em meio às perspectivas de relaxamento nas restrições de mobilidade na China.

A maior aversão ao risco nesta quarta levou o dólar a ganhar força frente ao real.