Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BENEFÍCIO

Caixa pagou R$ 940 milhões do auxílio emergencial em MS

Fraudes no recebimento de valores serão monitoradas pelo banco e servidores serão ouvidos pela CGE
17/06/2020 09:00 - Súzan Benites


 

Os pagamentos do auxílio emergencial de R$ 600 começaram a ser realizados no dia 9 de abril. De acordo com a superintendência regional da Caixa Econômica Federal em Mato Grosso do Sul, até esta terça-feira (16) foram creditados R$ 940 milhões para os beneficiários do Estado. Em relação as fraudes no recebimento de servidores públicos, denunciada pelo Correio do Estado, a Controladoria-Geral do Estado (CGE) vai investigar os funcionários que se inscreveram por conta própria para receber o benefício.  

De acordo com a Caixa, o auxílio emergencial do Governo Federal, já creditou mais de R$ 78,2 bilhões para 61 milhões de brasileiros. Em Mato Grosso do Sul, foram disponibilizados cerca de R$ 940 milhões para os beneficiários, o que representa 1,2% do total nacional dos benefícios pagos até o momento.  

FRAUDE

Conforme já noticiado pelo Correio do Estado, entre os beneficiários, 1.126 servidores estaduais receberam o benefício de forma indevida. A ajuda é disponibilizada para desempregados, trabalhadores informais e microempreendedores individuais (MEIs) que foram impossibilitados de trabalhar devido a pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Segundo o controlador-geral do Estado, Carlos Eduardo Girão de Arruda, os benefícios irregulares foram pagos para alguns servidores por conta de informações desatualizadas na base do Ministério da Cidadania.  

“Primeiro o Ministério da Cidadania foi notificado para que esses servidores não recebam mais o auxílio. Agora estamos notificando esses órgãos onde os servidores atuam. São 12 entidades do poder executivo estadual. Essas pessoas que receberam por informações desatualizadas podem entrar no site do ministério e gerar um boleto e elas mesmas devolverem os valores. A situação é diferente no caso de 259 servidores, que não estavam cadastrados previamente, ou seja, baixaram o aplicativo e se inscreveram, vai ser aberto um processo para investigá-los”, informou o controlador.  

Girão ainda explicou que os servidores serão primeiramente ouvidos, e poderão responder a processo administrativo e judicial, por falsidade ideológica, já que fizeram o cadastro no Ministério da Cidadania declarando não ter vínculo empregatício, aposentadoria ou pensão. “Vamos ouvir estes servidores e desse processo, além da devolução dos valores, eles podem ser repreendidos, suspensos ou até mesmo demitidos. Vamos encaminhar os procedimentos ao Ministério Público Estadual para que tomem as providências cabíveis. A CGU fez um grande trabalho no Páis, para identificar em todos os estados este tipo de irregularidade”, destacou.

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB), reiterou que o foco do poder público será nestes 259 servidores. “Eu não quero fazer pré julgamento de ninguém, mas a pessoa cadastrou e recebeu e regularmente é um servidor público que não deveria estar na lista. Primeiro, acho isso absurdo a pessoa se aproveitar de um momento desses, que tem pessoas que realmente necessitam desse auxílio. Então, a determinação à CGE total rigor nas apurações. Não queremos pré julgar ninguém. Apure, identifique e faça ações de punição aqueles que realmente fraudaram a questão do auxílio emergencial”, ressaltou o governador.

BANCO

O Correio do Estado noticiou na edição de terça-feira (16), que um casal tentava sacar o auxílio, mas foi informado que o benefício já havia sido retirado por outras pessoas. O casal de idosos tentava no início desta semana, pela quarta vez, resolver o problema com o banco. A superintendência da Polícia Federal informou à reportagem que 15 casos de golpe são investigados em Campo Grande.

A Caixa informou em nota, que as agências trabalham em colaboração com a segurança pública para identificar problemas. “A  área de segurança do banco realiza o monitoramento e mapeamento de ocorrências, em colaboração com os órgãos de Segurança Pública competentes com o objetivo de coibir ocorrências de fraude. É muito importante que os cidadãos utilizem única e exclusivamente os canais oficiais da Caixa ou do Governo para buscar informações e acesso aos serviços”, informou.

ORIENTAÇÕES

O banco ainda  orientou que caso o usuário esqueça a senha do Caixa Tem ou desconfie de alteração cadastral indevida, é possível pelo aplicativo refazer o cadastro gerando uma nova senha. “Eventuais contestações de saques ou alteração cadastral indevida podem ser formalizadas pelo beneficiário diretamente em qualquer agência da Caixa. Após análise, nos casos em que for comprovado eventual movimentação fraudulenta, o beneficiário será ressarcido. A Caixa recomenda o registro de Boletim de Ocorrência junto a autoridade policial, ainda que não seja necessário para a contestação de saque na agência”, orientou por meio de nota a superintendência regional.

Dúvidas sobre o auxílio podem ser tiradas pelo telefone 111, por meio do aplicativo Caixa Auxílio Emergencial e do site auxilio.caixa.gov.br.

SERVIDORES

Benefícios irregulares foram pagos em 84,9% dos casos a aposentados e pensionistas e servidores da Educação (12,7%). O perfil salarial destes servidores é diverso, há quem receba salário minímo e aposentados que ganham R$ 35 mil. 

 

Felpuda


É quase certo que a aposentadoria deverá ocorrer de maneira mais rápida do que se pensava em determinado órgão. O que deveria ser a tal ordem natural dos fatos acabou sendo atropelada por acontecimentos considerados danosos para a imagem da instituição. Os dias estão passando, o cerco apertando e já é praticamente unanimidade de que a cadeira terá de ter substituto. Mas, pelo que se ouve, a escolha não deverá ser com flores e bombons de grife.