Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CONSUMO

Com aumento nas vendas, comércio estima retomada

Lojistas apontam que a movimentação nos shoppings e na região central já chega a 50%
30/05/2020 12:00 - Súzan Benites


 

 O comércio de Campo Grande ficou completamente fechado durante 15 dias a partir do dia 20 de março, devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19).  Com a flexibilização das regras de isolamento social, as atividades econômicas foram retornando gradativamente. Para os lojistas, o retorno dos consumidores aos estabelecimentos tem sido gradual, mas já apontam aumento nas vendas e esperam com otimismo o resultado do Dia dos Namorados.

A empresária e diretora da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG), Leni Fernandes, acredita que no próximo mês o setor começa a empatar com os números do ano anterior. “Já houve uma retomada na economia, neste mês já estamos com 70% do faturamento do ano passado. O Dia das Mães já não foi ruim, agora estou otimista para o Dia dos Namorados. Acredito que neste mês de junho já devemos equiparar com as vendas do ano passado”, afirmou.

Proprietário de lojas de acessórios, Djalma Santos, viu o faturamento de maio aumentar 50% em relação à abril. “O retorno está sendo gradativo, pois, vendemos 50% a mais que abril. O Dia dos namorados vai depender se iremos ter autorização para abertura, por estar entre dois feriados. É uma data muito importante para o comércio em geral, desta forma já estamos criando campanha publicitária para fomentá-la”, considerou.

MUDANÇAS

A proprietária de algumas lojas de roupas no centro da Capital, Sueli Padovani, explica que o jeito encontrado para driblar a crise foi se reinventar. “Busquei outras alternativas, agreguei a moda kids, aproveitando o inverno, e o retorno foi bom. As pessoas estão vindo sim, porém querem preços baixos, quem tem preço em conta está vendendo, quem trabalha com um perfil mais caro está penando. A expectativa para o Dia dos Namorados, para as roupas nunca foram grandes,mas, sempre há um movimento maior, ainda que não seja para comprar presente”, explicou complementando que a economia deve voltar à normalidade aos poucos. “Acredito que vai ser paulatinamente, as pessoas estão receosas em gastar e  também a economia enfraqueceu. Acho que somente a partir de setembro possa acelerar mais”, completou Sueli.

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Campo Grande (CDL-CG) preparou uma campanha para chamar empresários para o comércio.  O presidente da CDL, Adelaido Vila, disse que o varejo gera grande parte dos empregos diretos na Capital. “Queremos que os consumidores percebam isso e que demonstrem seu amor pela nossa cidade, pelos amigos e familiares que tiram do comércio o seu sustento. Não se trata apenas de amor de namorados, mas de demonstrar e espalhar o amor, pela cidade, pelo próximo”.

SHOPPINGS

Os centros comerciais e shoppings, por ter uma aglomeração maior de pessoas, só puderam reabrir quase um mês após o fechamento total das atividades comerciais. Com pouco mais de um mês após a reabertura dos primeiros shoppings, o movimento nos locais gira em torno de 50%, comparado ao mesmo período de 2019.  

De acordo com o presidente da Associação dos Lojistas dos Shoppings Campo Grande e Norte Sul, Kermson Martins, o retorno da movimentação e vendas têm sido gradual. “Está aumentando aos poucos, apesar de termos a capacidade limitada, o público está voltando.  A movimentação  é de em média 50% comparado com o mesmo período do ano passado, em alguns segmentos mais e em outros menos”, disse o lojista que tem empresas que comercializam calçados, roupas infantis e roupas masculinas.

O representante dos comerciantes conta que apesar da queda no faturamento, as perspectivas são positivas para a data comemorativa. “Tenho vendido cerca de 40% do que comercializava antes. A gente acredita que no Dia dos Namorados teremos um incremento nas vendas. Os números do coronavírus em Campo Grande não estão tão altos, então é aguardar. Não dá para saber como serão os próximos meses”.  

O Pátio Central Shopping, informou que  a reabertura dos locais incluia a redução do fluxo de pessoas dentro do centro comercial, e que dentro das possibilidades a movimentação foi além da expectativa. “Isso nos deu fôlego para enxergar que o Dia dos Namorados será excelente. E também ao fato da compreensão dos lojistas sobre o momento, bem como as novas ferramentas de vendas que eles adotaram para se readequar, como a venda pelas redes sociais. O que otimizou a receita e vem compensando a redução do fluxo de pessoas dentro dos espaços físicos. Assim como todo o mercado brasileiro, estamos na expectativa que a curva da pandemia comece a decrescer o mais rápido possível para que possamos retomar a nossa rotina normal”, informou por meio de nota a adminstração.

Levantamento do Instituto de Pesquisa da Fecomércio (IPF-MS) aponta que o Dia dos Namorados deve movimentar R$ 100,61 milhões na economia de Mato Grosso do Sul. Do montante, R$ 72,62 milhões serão investidos em presentes e R$ 27,99 milhões destinados às comemorações. Em Campo Grande, o total chega a R$ 31,48 milhões.

 

Felpuda


Ex-cabecinha coroada anda dizendo por aí ser o responsável por vários projetos para Campo Grande, executados posteriormente por sucessor. 

Ao fim de seus comentários, faz alerta para que o eleitor analise atentamente de como surgiram tais obras e arremata afirmando que não foi “como pó mágico de alguma boa fada madrinha. 

Houve muito suor nos corredores de Brasília”. Então, tá!...