Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

FRONTEIRAS FECHADAS

Comércio da fronteira sente impactos do Covid-19

Além de fronteiras fechadas, Paraguai tem toque de recolher
19/03/2020 17:16 - Súzan Benites


O Paraguai decretou toque de recolher durante a noite e madrugada no país nesta semana. Conforme informações do jornal ABC Color estão permitidos somente serviços essenciais como táxis, aplicativos, serviços de entrega, fornecimento de mercadorias e motéis. Ontem o país intensificou o fechamento da fronteira com o Brasil em Mato Grosso do Sul e no Paraná. Com isso muitos comerciantes fecharam as portas.

Segundo o presidente da Câmara de Comércio e Turismo de Pedro Juan Caballero, Victor Barreto, a fronteira está parcialmente fechada. “Algumas pessoas estão entrando pela imigração. Quanto ao toque de recolher está tudo tranquilo, o pessoal está respeitando, 20h não temos maiores problemas. Mas o comércio fronteiriço está morto, pelo fato de não ter mais turistas, os comerciantes fecharam pelo custo benefício”.

O Ministro paraguaio, Euclides Acevedo, concedeu entrevista ao ABC Color e explicou que o toque de recolher é para evitar a aglomeração e a exposição desnecessária de pessoas. “Em caso de violação da medida, a Polícia do País poderá prender as pessoas e disponibilizá-las ao Ministério Público”, informou Euclides Acevedo .

De acordo com o ministro, a orientação é que as pessoas comprem combustíveis antes das 20h ou até às 21h. “Não apenas devido a essa restrição de aglomeração, mas também para evitar provocar criminosos, que certamente vão querer tirar proveito de neste momento também”, disse Acevedo.

FECHAMENTO

Na tarde desta quarta-feira (18), o exército paraguaio fechou a fronteira com o Brasil em Pedro Juan Caballero, cidade que faz divisa com a cidade sul-mato-grossense Ponta Porã. Conforme informações dos comerciantes que atuam na fronteira, os policiais paraguaios estavam na divisa dos países informando que a partir desta quinta-feira (19) nenhum brasileiro entraria.

O empresário Alejandro Aranha, disse que somente os estrangeiros ou pessoas em tratamento médico estão passando. “Ninguém entra ou sai a partir de amanhã. Apenas os estrangeiros que estejam passando por aqui ou os que precisam de tratamento médico”, informou ao Correio do Estado.

PONTE DA AMIZADE

Durante a tarde desta quarta-feira, a Ponte Internacional da Amizade, que faz fronteira entre a Ciudad Del Este e Foz do Iguaçu já havia sido fechada após determinação do governo do Paraguai. Conforme informações do jornal O Dia, o bloqueio será de 15 dias.

O Paraguai contabiliza nove casos confirmados para Covid-19 de acordo com as notícias locais. O país vizinho determina que os turistas sem documento paraguaio que estejam voltando para o Brasil, caminhoneiros e veículos com mercadorias podem entrar. Já os paraguaios que estejam voltando serão obrigados a ficar em quarentena por 14 dias.

BRASIL

O governo federal publicou portaria nesta quinta-feira (19) restringindo a entrada de estrangeiros pelas fronteiras com países sul-americanos em razão da pandemia do novo coronavírus. Fica restrita a entrada por via terrestre de pessoas dos seguintes países: Suriname, Guiana Francesa, Guiana, Colômbia, Bolívia, Peru, Paraguai e Argentina. A limitação para a Venezuela já havia sido divulgada ontem (18). A fronteira com o Uruguai será objeto de uma portaria específica, uma vez que os dois governos ainda analisam a melhor solução.

A medida foi recomendada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em nota técnica elaborada pela equipe do órgão. A justificativa é o risco de contaminação e disseminação do novo coronavírus. Brasileiros continuam podendo entrar no Brasil vindo dos países mencionados. Imigrantes com autorização de residência definitiva no Brasil e profissionais em missão de organismo internacional ou autorizados pelo governo brasileiro também poderão entrar no país.

 

Felpuda


A lista do Tribunal  de Contas de MS,  com nomes de gestores que tiveram reprovados os balanços financeiros  de quando exerceram cargos públicos,  está deixando  muitos candidatos de cabeça quente.  Conforme previsto  pelo Diálogo, adversários estão se utilizando de tais dados para cobrar, principalmente nas redes sociais, deixando alguns gestores na maior saia justa e tendo que se explicar. O eleitor, por enquanto, só observa. E dê-lhe!