Clique aqui e veja as últimas notícias!

RETOMADA

Confiança do comércio cresce e atinge marca igual à de março, primeiro mês da pandemia

Aumento pode ter relação com a proximidade das festas de fim de ano, aponta economista
26/10/2020 10:34 - Rodrigo Almeida


Crescimento do Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) em Campo Grande atinge marca de 115,1 em outubro. A escala vai até 200 e há uma tendência de alta nas últimas duas pesquisas. 

Esse é o maior resultado desde março, mês em que foi estipulado o estado de emergência, de acordo com dados da pesquisa da Confederação Nacional do Comércio (CNC). 

Segundo a nota, a coleta é realizada sempre nos últimos dez dias do mês anterior ao da divulgação da pesquisa. Assim, os dados do ICEC de outubro/2020 foram coletados nos últimos dez dias do mês de setembro/2020. 

Por isso, apesar de março ser o primeiro mês da pandemia, os dados são referentes ao mês de fevereiro, no qual o pico dos últimos 12 meses atingira 136,5 pontos e apontava uma tendência de alta da confiança do empresariado campo-grandense que se iniciara em dezembro de 2019. 

O real impacto da pandemia é notado a partir do resultado de abril, este sim referente a março. Naquela ocasião, a confiança dos comerciantes de Campo Grande atingiram 114,8, pouco abaixo da marca divulgada nesta segunda-feira. 

“São perspectivas boas para o consumo, pois devemos lembrar que o ICEC é um indicador que antecede as vendas do comércio, a partir do ponto de vida dos empresários. Se a percepção atual está melhorando – no auge da pandemia esteve em 72,6, no mês de junho – é um apontamento que o cenário econômico tende a melhorar”, explica a economista do Instituto de Pesquisa e Comércio (IPF/MS) Daniela Dias.

De acordo com a pesquisa, a expectativa com a economia é positiva para 82,8% dos empresários e, especificamente para o comércio, segundo 86,3% dos entrevistados.

O otimismo também quanto aos próprios negócios, segundo 89,9 % dos entrevistados. E, há perspectiva de contratação nos próximos meses para 58,2%.

Em comparação entre outubro deste ano e o mesmo mês de 2019 a queda é de 14%. O ICEC naquele momento marcara 134 pontos, um indicativo de ânimo segundo a economista. 

“A proximidade das festas de fim de ano, período de maior movimento para o comércio pode estar contribuindo para esse otimismo”, pontua Daniela.