Correio Rural

agricultura

A+ A-

Produção de grãos de Mato Grosso do Sul deve alcançar 27,1 milhões de toneladas

Conforme o 11º levantamento da Conab, a safra 2022/2023 terá crescimento de 23,3% no comparativo com o ciclo anterior

Continue lendo...

O Estado terá produção de grãos 23,3% maior no ciclo 2022/2023 – é o que aponta os dados divulgados pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) em seu 11º levantamento da safra de grãos. Conforme os números, a produção está estimada em 27,153 milhões de toneladas, 5,1 milhões a mais no comparativo com o desempenho da safra 2021/2022, que foi de 22,027 milhões de toneladas.

Mato Grosso do Sul também deve registrar aumento na área semeada. A estimativa da Conab é que sejam cultivados 6,321 milhões de hectares ou o equivalente a uma variação positiva de 6,3% em comparação à safra anterior, quando foram registrados 5,944 milhões de hectares cultivados no Estado.

Ainda de acordo com o relatório da companhia, a produtividade por hectare também deve aumentar. No ciclo passado, Mato Grosso do Sul produziu 3.705 quilos por hectare. Agora, a estimativa é de 4.296 kg/ha.
Conforme o boletim, a companhia estima uma produção total de 320,1 milhões de toneladas de grãos na safra 2022/2023, incremento de 17,4% que representa um volume de 47,4 milhões de toneladas a mais que o volume colhido no ciclo passado.

O resultado é reflexo da combinação dos ganhos de área e de produtividade das lavouras. Enquanto a área apresenta uma alta de 5% em relação à safra 2021/2022, chegando a 78,3 milhões de hectares, a produtividade média registra uma elevação de 11,8%, saindo de 3.656 kg/ha para 4.086 kg/ha.

“Esse valor de 320,1 milhões de toneladas se deve, principalmente, ao avanço da colheita do milho segunda safra, que vem apresentando produtividades superiores às inicialmente previstas, aliado ao melhor desempenho das culturas ainda em campo. Portanto, reforça o recorde da safra brasileira de grãos”, explica o presidente da Conab, Edegar Pretto.

A colheita do milho segunda safra segue avançando e ultrapassará 64,3% da área plantada, conforme indica o relatório da Conab. Se confirmado, o volume estimado para a segunda safra de milho ultrapassará as 100 milhões de toneladas, a maior produção já registrada na série histórica.

MILHO 

O 11º levantamento da safra de grãos traz ainda informações específicas sobre o milho segunda safra em Mato Grosso do Sul. Segundo o relatório, os dias mais curtos e a entrada de frentes frias mantiveram temperaturas baixas por significativo período de julho.

“Os eventos [climáticos], aliados à permanência de noites frescas, com constante formação de orvalho, estão retardando a perda de umidade dos grãos. Consequentemente, tem-se baixa a evolução da colheita no Estado até o momento”, detalha o documento técnico da Conab.

A ocorrência de chuvas de baixo volume em meados do mês favoreceu as lavouras tardias que ainda estavam em enchimento de grãos, permitindo um pequeno aumento na estimativa da produtividade média estadual em relação ao levantamento anterior, apesar de o período encerrar com restrição hídrica.

“Tendo em vista a avançada fase fenológica da maioria das lavouras, ocorreram somente casos pontuais de tratos fitossanitários naquelas atrasadas, com pulverização de inseticidas visando o controle de pulgão e cigarrinhas junto à última dose de fungicida”, informa a companhia.

“Esses cultivos tardios, que representam em torno de 22% da área produtiva, estão gerando receio quanto à indicação de uma média produtiva maior, uma vez que as espigas desses talhões apresentam falha no enchimento dos grãos da ponta, formando o fenômeno chamado popularmente de chupeta, bem como qual seria o reflexo no peso final dos grãos”, acrescenta.

Depois do bom desempenho da safra 2021/2022, a estimativa da produção da segunda safra de milho no Estado sofreu um pequeno recuo de 1,8%, caindo de 12,460 milhões de toneladas para 12,240 milhões de toneladas.

A produtividade também deverá ser 5,3% menor, passando de 5.715 kg/ha em 2021/2022 para 5.410 kg/ha no atual ciclo. Já a área plantada apresenta um leve aumento, avançando 3,8%, ou seja, saindo de 2,180 milhões de hectares no ciclo passado para 2,262 milhões de hectares na safra 2022/2023.

320,1 mi de toneladas

O levantamento da companhia estima uma produção total de 320,1 milhões de toneladas de grãos na safra 2022/2023, um incremento de 17,4%, o que representa um volume de 47,4 milhões de toneladas a mais que o volume colhido no ciclo passado.