Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

RECURSOS

Para facilitar acesso ao crédito, Sebrae vai oferecer garantias

Objetivo é ampliar alcance das micro e pequenas empresas às linhas de financiamento
20/04/2020 18:27 - Súzan Benites


 

Para facilitar o acesso às linhas de financiamento para micro e pequenas empresas (MPE), bem como microempreendedores individuais (MEI), o Sebrae firmou uma parceria com a Caixa Econômica Federal.  Serão utilizadas as linhas de crédito disponibilizadas pela Caixa e as garantias complementares serão concedidas pelo Sebrae por meio do Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas (Fampe).

A maior dificuldade das empresas até o momento são as garantias para tomar esses empréstimos. Que tem sido extremamente necessários para garantir a sobrevivência dos negócios, em meio a crise causada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

 Levantamento realizado pelo Sebrae aponta que 25,33% das micro e pequenas empresas de Mato Grosso do Sul já tentaram buscar financiamentos, destas, 63,16% tiveram o recurso negado, 10,53% conseguiram e 26,32% ainda aguardam uma resposta das instituições. O estudo do Sebrae aponta ainda que 48% das empresas vão precisar de empréstimos para manter as portas abertas.

O acordo entre as entidades é um desdobramento da Medida Provisória 932 que estabeleceu, por um período de três meses, que 50% da arrecadação do Sebrae será destinada a fortalecer o Fampe e permitir um aumento nas operações de crédito com taxas mais baixas, maior prazo e melhor período de carência. A expectativa do Sebrae é que esta operação de socorro aos pequenos negócios, na crise do coronavírus, começará com R$ 500 milhões para o Fampe em garantias, o que permitirá a concessão de aproximadamente R$ 6 bilhões (podendo chegar a R$ 7 bilhões) em negócios.

O Fundo resolve a maior dificuldade enfrentada pelas empresas: a garantia para que instituições financeiras concedam as operações de crédito. O fundo de aval disponibilizado pelo Sebrae pode alavancar empréstimos no valor 12 vezes ao do seu patrimônio. 

 “Um dos maiores obstáculos no acesso dos pequenos negócios a crédito é a exigência de garantias feita pelas instituições financeiras. Nesse sentido, o Fampe funciona como um salvo-conduto, que vai permitir aos pequenos negócios, incluindo até o microempreendedor individual, obterem os recursos para capital de giro, tão necessários para atravessarem a crise provocada pela pandemia do coronavírus, mantendo os negócios e os empregos”, explicou o presidente do Sebrae, Carlos Melles.

Além de entrar com recursos para alavancar o volume de operações de crédito, o grande diferencial do Fampe é que os empreendedores vão contar com um crédito assistido pelo Sebrae. “Donos de micro e pequenas empresas serão acompanhados ao longo de todas as fases da operação, através da oferta de capacitações e soluções adequadas às necessidades de cada empreendedor e do estágio em que ele se encontra no processo do crédito. Isso vai possibilitar a redução do risco e, consequente, dos custos financeiros das operações”, acrescenta Melles. 

OPERAÇÕES

Em contrapartida, a Caixa se comprometeu a disponibilizar e utilizar linhas de crédito que atendam às melhores condições de taxas, prazo e carência. As duas instituições farão um intercâmbio de informações, por meio eletrônico, com o objetivo de agilizar e facilitar a concessão do crédito. O banco ainda se comprometeu a estimular os empreendedores a buscar assessoria e consultoria especializada do Sebrae.

De acordo com o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, a parceria com o Sebrae tem o objetivo de apoiar o setor que vem sofrendo com a pandemia. “A Caixa, enquanto banco público tem a missão de dedicar uma atenção especial a este cliente que gera tantos empregos no país. Através da parceria, a Caixa disponibilizará melhores condições de taxas, prazo e carência, de forma a atender a demanda por crédito do setor”, disse. 

Segundo o vice-presidente da Caixa, Celso Derziê, “a expectativa é injetar R$ 12 bilhões em linhas de crédito facilitado para o setor”, acrescentou.

 

Felpuda


Devidamente identificadas as figurinhas que agiram “na sombra” em clara tentativa de prejudicar cabeça coroada. Neste segundo semestre, os primeiros sinais começarão a ser notados como reação e “troco” de quem foi atingido. Nos bastidores, o que se ouve é que haverá choro e ranger de dentes e que quem pretendia avançar encontrará tantos, mas tantos empecilhos, que recuar será sua única opção na jornada política. Como diz o dito popular: “Quem muito quer...”.