Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MERCADO FINANCEIRO

Dólar cai na semana e é vendido a R$ 5,32

Dólar comercial encerrou esta sexta-feira com recuo de R$ 0,029 (-0,55%)
03/07/2020 23:00 - Agência Brasil


 

Num dia de feriado nos Estados Unidos e de divulgação de dados positivos na Europa e na China, o dólar caiu e a bolsa subiu. O dólar comercial encerrou esta sexta-feira (3) vendido a R$ 5,321, com recuo de R$ 0,029 (-0,55%).

A moeda alternou momentos de alta e de baixa durante a manhã, mas a tendência de queda firmou-se durante a tarde. A divisa encerrou a semana com recuo de 2,65%, após subir por três semanas seguidas. No ano, a cotação da moeda norte-americana acumula alta de 32,58%.

O euro comercial encerrou a sexta-feira vendido a R$ 5,975, com queda de 0,81% no dia. A libra esterlina comercial caiu 0,83% e fechou o dia vendida a R$ 6,63.

BOLSA

No mercado de ações, o dia foi marcado por ganhos. O índice Ibovespa, da B3 (a bolsa de valores brasileira), fechou esta sexta aos 96.765 pontos, com alta de 0,55%. O indicador subiu 3,12% nesta semana, depois de ter encerrado a semana passada em baixa. Em 2020, o Ibovespa acumula queda de 13,33%.

Apesar de os Estados Unidos comemorarem amanhã (4) o Dia da Independência, o feriado foi antecipado para hoje. Com o mercado norte-americano fechado, o mercado internacional refletiu a divulgação de dados positivos em outras regiões. Na China, o setor de serviços cresceu em junho no maior ritmo em mais de uma década. Na zona do euro, a pesquisa Índice de Gerentes de Compras mostrou menor encolhimento da atividade das empresas.

Há várias semanas, mercados financeiros em todo o planeta atravessam um período de nervosismo por causa da recessão global provocada pelo agravamento da pandemia do novo coronavírus. Nos últimos dias, os investimentos têm oscilado entre possíveis ganhos com o relaxamento de restrições em vários países da Europa e em regiões dos Estados Unidos e contratempos no combate à doença.

 

Felpuda


Ex-cabecinha coroada anda dizendo por aí ser o responsável por vários projetos para Campo Grande, executados posteriormente por sucessor. 

Ao fim de seus comentários, faz alerta para que o eleitor analise atentamente de como surgiram tais obras e arremata afirmando que não foi “como pó mágico de alguma boa fada madrinha. 

Houve muito suor nos corredores de Brasília”. Então, tá!...