Economia

INFLUÊNCIA DA CHINA

Dólar sobe forte na primeira sessão do ano e fecha acima de R$ 4

Mercado reagiu a notícias ruins sobre a economia da China

Continue lendo...

O dólar fechou acima de R$ 4 nesta segunda-feira (4), no primeiro dia de negócios do ano de 2016. A moeda subiu forte porque o mercado busca ativos considerados mais seguros – como o dólar – conforme crescem as preocupações com a economia da China.

Mais cedo, uma pesquisa mostrou que a indústria do país asiático teve o 10º mês seguido de queda em dezembro.

O dólar operou em alta na maioria dos mercados. No Brasil, no entanto, a variação é mais acentuada devido às tensões econômicas e políticas. Por aqui, os economistas dos bancos projetaram uma inflação mais alta e uma queda mais acentuada do PIB neste ano, informou o Banco Central pela manhã.

A moeda norte-americana subiu 2,18%, a R$ 4,0339 para venda.  Veja a cotação do dólar hoje.Este é o maior valor desde setembro de 2015, quando, no dia 29, a moeda fechou cotada a R$ 4,0591. Também foi o maior ganho diário desde outubro, quando, no dia 13, o dólar subiu 3,58%.

Na máxima da sessão, a moeda norte-americana chegou a ser negociada a R$ 4,0717, alta de 3,13%, segundo a Reuters.

Essa forte alta do dólar comercial reflete na cotação nas casas de câmbio, que vendem o dólar turismo, valor que é sempre maior que o divulgado no câmbio comercial. Nesta tarde, o dólar turismo se aproximou de R$ 4,50.

China
"Se a China está ruim, os países que dependem da China vão no mesmo barco", resumiu à Reuters o gerente de câmbio da Treviso, Reginaldo Galhardo.

A atividade industrial chinesa encolheu em dezembro, com o setor lutando contra a fraca demanda. O resultado pressionou o mercado acionário chinês, que acionou o "circuit breaker" (regra para evitar baixas maiores) pela primeira vez e suspendeu os trabalhos, fechando com queda de quase 7%.

No Brasil, o pessimismo com o cenário político ajudava a acentuar as altas, com o recesso no Congresso Nacional adiando a decisão de medidas importantes para a busca do equilíbrio fiscal do país.

Entre as medidas a serem analisadas está a retomada da CPMF, prevista na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2016.

Ela é necessária, nos cálculos do governo, para fechar o ano com a meta de superávit primário (a economia feita para o pagar os juros da dívida) para o setor público consolidado equivalente a 0,5% do PIB.

Balanço da moeda
Na última sessão de 2015, no dia 30, o dólar avançou 1,83%, a R$ 3,948 na venda. No mês de dezembro, a moeda norte-americana subiu 1,58%.

No ano, o dólar subiu 48%. Foi o maior avanço anual em 13 anos, além do quinto ano consecutivo de valorização do dólar em relação ao real, segundo a Reuters. Em 2002, o dólar subiu pouco mais de 50% em relação ao real no ano por incertezas do mercado envolvendo a eleição de Luiz Inácio Lula da Silva. Em 2014, a alta anual havia sido de 12,78%. Já em 2013, a valorização anual foi de 15,3%.

O dólar começou 2015 abaixo dos R$ 3. Passou esse patamar na cotação de fechamento pela primeira vez em 5 de março, quando terminou a sessão cotado a R$ 3,0115.

Em setembro, fechou acima do patamar de R$ 4 pela primeira vez no dia 22, cotado a R$ 4,0538. Foi então a primeira vez que o dólar ultrapassou este valor na história. Na sessão seguinte, fechou no maior valor da história, a R$ 4,1461. Ao todo, a moeda fechou acima dos R$ 4 por seis vezes em 2015.

Interferência do BC no câmbio
O Banco Central realizou no final desta manhã o primeiro leilão de rolagem dos swaps cambiais que vencem em 1º de fevereiro, com oferta de até 11,6 mil contratos.

Na operação, o BC rolou o equivalente a US$ 563,4 milhões, ou cerca de 5% do lote total, que corresponde a US$ 10,431 bilhões.

Expectativas para 2016
Economistas ouvidos pelo G1 esperam que em 2016 o câmbio continue volátil, mas não apontam possibilidade de o dólar voltar a patamares mais baixos.

"O câmbio vai continuar extremamente volátil para cima e para baixo. Se a gente chegar a um equilíbrio econômico, tende dar uma equilibrada num patamar um pouco abaixo do que estamos hoje. Porém, quanto mais tempo demorar para isso acontecer, menor vai ser a redução entre a taxa que estiver vigorando e a taxa que vai vigorar depois do equilíbrio – ou seja, o dólar vai cair menos", explica o professor Tharcisio Souza Santos, das Faculdades de Economia e de Administração da Faap.

Pedro Rossi, professor da Unicamp e diretor do Centro de Estudos de Conjuntura e Política Econômica, cita ainda como fator que tende a deixar o câmbio volátil em 2016 o cenário internacional, com o mercado de olho no ritmo do aperto monetário nos Estados Unidos após a primeira subida da taxa de juros em quase uma década.

"A situação internacional não se definiu, a política americana ainda não está claramente definida nos seus objetivos", diz. "A incerteza com relação a esse movimento de juros internacional provavelmente vai ditar uma volatilidade grande na taxa de câmbio."

O professor Judas Tadeu Grassi Mendes, da EBS Business School, afirma que "o dólar não subiu muito em 2015, e sim voltou ao equilíbrio". "O câmbio de 2015 apenas corrigiu a inflação de 1994 até agora, a inflação dos Estados Unidos menos a do Brasil."

Economia

Petróleo financiará a transição energética, afirma presidente da Petrobras

Em cerimônia prestigiada por Lula e ministros, Magda Chambriard volta a defender exploração da margem equatorial

19/06/2024 21h00

O Ministério de Minas e Energia (MME) indicou a engenheira Magda Chambriard para exercer o cargo de presidente da Petrobras, em substituição a Jean Paul Prates

O Ministério de Minas e Energia (MME) indicou a engenheira Magda Chambriard para exercer o cargo de presidente da Petrobras, em substituição a Jean Paul Prates Antônio Cruz/ Agência Brasil

Continue Lendo...

Em cerimônia de posse prestigiada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), a presidente da Petrobras, Magda Chambriard fez forte defesa da abertura de novas fronteiras exploratórias de petróleo no país, apesar dos apelos internacionais pela transição energética.

"Alguém tem que financiar essa transição [energética]", afirmou Magda em seu discurso, após citar projetos de investimentos da empresa em energias renováveis e redução de emissões. "E para financiar essa transição são fundamentais investimentos em exploração e produção de petróleo".

"Não existe falar em transição energética sem mencionar quem vai pagar essa conta. E é o petróleo que vai pagar essa conta", prosseguiu ela, para depois destacar que reservas da commodity são finitas e precisam ser repostas.

"Nessa linha, é fundamental desenvolver as reservas da margem equatorial", concluiu. O principal foco da empresa nesse sentido é o chamado bloco 59 da bacia da Foz do Amazonas, que já teve licença negada pelo Ibama (Instituto do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis).

Magda tomou posse de fato no último dia 24, em substituição a Jean Paul Prates, demitido por Lula após longo processo de fritura patrocinado pelos ministros de Minas e Energia, Alexandre Silveira, e da Casa Civil, Rui Costa.

No início de seu discurso na cerimônia, ao citar os nomes dos presentes, a presidente da Petrobras fez questão de afagar Silveira, seu "ministro de contato" -a Petrobras é ligada ao MME. "Obrigado pela confiança, ministro", afirmou.

Magda recebeu do governo a missão de acelerar obras para que Lula consiga mostrar resultados ainda a tempo da campanha eleitoral de 2026. Como prioridades, estão encomendas na indústria naval brasileiras, aportes em fertilizantes e a viabilização de um polo gás-químico em Uberaba (MG).

Ela elegeu ainda como missão destravar a exploração de petróleo na margem equatorial brasileira, conjunto de bacias petrolíferas que vai do Rio Grande do Norte ao Amapá e hoje foco de embate entre as áreas ambiental e energética do governo.

Desde sua posse, nomeou três novos diretores. Duas são mulheres que fizeram carreira na estatal: Renata Baruzzi foi escolhida para a diretoria de Engenharia, Tecnologia e Inovação e Sylvia dos Anjos, para a diretoria de Exploração e Produção, dona da maior fatia do orçamento da estatal.

O terceiro é Fernando Melgarejo, funcionário do Banco do Brasil que ocupava diretoria na Previ (a fundação que gere a previdência privada do banco), foi escolhido para a diretoria Financeira e de Relações com Investidores.
Algumas mudanças na cúpula da estatal são vistas como um movimento de Lula para ter maior ascendência sobre a gestão, como a indicação de um assessor de confiança, o secretário especial de Assuntos Jurídicos da Casa Civil, Wellington César Lima e Silva, para comandar o departamento jurídico.

Loteria

Resultado da Lotofácil 3133 de hoje, quarta-feira (19/06); veja os números

Prêmio estava estimado em R$ 1,7 milhão; confira se você foi sortudo

19/06/2024 19h23

Confira o resultado do sorteio da Lotofácil

Confira o resultado do sorteio da Lotofácil Foto: Arquivo

Continue Lendo...

A Caixa Econômica Federal sorteou as 15 dezenas do concurso 3133 da Lotofácil na noite deste quarta-feira (19), no Espaço da Sorte, em São Paulo.

O prêmio estava estimado em R$ 1,7 milhão.

Números sorteados no concurso 3133: Confira o resultado

  • 10 - 14 - 05 - 02 - 22 - 25 - 24 - 15 - 20 - 17 - 09 - 11 - 06 - 19 - 12

Verifique sua aposta e veja se você foi um dos sortudos deste concurso.

O rateio, que é o número de acertadores e o valor que cada acertador irá receber, será divulgado em breve pela Caixa Econômica Federal.

Os sorteios são transmitidos ao vivo pelo canal do Youtube da Caixa.

Como jogar na Lotofácil

Os sorteios da Lotofácil são realizados diariamente, às segundas, terças, quartas, quintas, sextas-feiras e sábados, sempre às 19h (horário de MS).

O apostador marca entre 15 e 20 números, dentre os 25 disponíveis no volante, e fatura prêmio se acertar 11, 12, 13, 14 ou 15 números.

Há a possibilidade de deixar que o sistema escolha os números para você por meio da Surpresinha, ou concorrer com a mesma aposta por 3, 6, 12, 18 ou 24 concursos consecutivos através da Teimosinha.

A aposta mínima, de 15 números, custa R$ 3,00.

Os prêmios prescrevem 90 dias após a data do sorteio. Após esse prazo, os valores são repassados ao Tesouro Nacional para aplicação no FIES - Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior.

É possível marcar mais números. No entanto, quanto mais números marcar, maior o preço da aposta.

Premiação

Caso não haja acertador em qualquer faixa, o valor acumula para o concurso seguinte, na respectiva faixa de premiação.

Os prêmios prescrevem 90 dias após a data do sorteio. Após esse prazo, os valores são repassados ao tesouro nacional para aplicação no FIES - Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior.

Não deixe de conferir o seu bilhete de aposta.

A quantidade de ganhadores da Lotofácil e o rateio podem ser conferidos aqui.

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).