Clique aqui e veja as últimas notícias!

PIB

Economia brasileira: guia para entender os principais índices

Leia aqui no Correio do Estado um guia para entender os principais índices da economia brasileira no estado do MS, Brasil e mundo
07/01/2021 15:00 - Thiago Gomes


Indicadores econômicos, que muita gente não dá uma importância, apesar de diretamente afetados por eles, são parâmetros essenciais para se avaliar as condições do mercado financeiro. 

Por isso, conhecê-los é fundamental para a administração de dezenas de modalidades de contrato, aplicações financeiras e mesmo para o pagamento de inúmeras contas.

Indicadores econômicos importantes para conhecer a economia brasileira

Se os indicadores são importantes, alguns deles são essenciais para se conhecer a economia, como por exemplo, a economia brasileira. Vamos ver alguns deles

PIB

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Produto Interno Bruto, conhecido pela sua abreviatura, PIB, é a soma de todos os bens e serviços finais produzidos por um país, estado ou cidade, geralmente em um ano. 

Todos os países calculam o seu PIB nas suas respectivas moedas. 

O PIB mede apenas os bens e serviços finais para evitar dupla contagem. 

Se um país produz R$ 100 de trigo, R$ 200 de farinha de trigo e R$ 300 de pão, por exemplo, seu PIB será de R$ 300, pois os valores da farinha e do trigo já estão embutidos no valor do pão.

Os bens e serviços finais que compõem o PIB são medidos no preço em que chegam ao consumidor. 

Dessa forma, levam em consideração também os impostos sobre os produtos comercializados.

Ainda conforme o IBGE, o PIB não é o total da riqueza existente em um país. 

Esse é um equívoco muito comum, pois dá a sensação de que o PIB seria um estoque de valor que existe na economia, como uma espécie de tesouro nacional. 

Na realidade, o PIB é um indicador de fluxo de novos bens e serviços finais produzidos durante um período. 

Se um país não produzir nada em um ano, o seu PIB será nulo. 

ASSINE o Correio do Estado e tenha notícias de credibilidade

Para o cálculo do Produto Interno Bruto são utilizados diversos dados; alguns produzidos pelo IBGE, outros provenientes de fontes externas. 

Essas são algumas das peças que compõem o quebra-cabeça do PIB:

Balanço de Pagamentos (Banco Central), Declaração de Informações Econômico-Fiscais da Pessoa Jurídica 

  • DIPJ (Secretaria da Receita Federal), Índice de Preços ao Produtor Amplo
  • IPA (FGV), Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo
  • IPCA (IBGE) Produção Agrícola Municipal
  • PAM - (IBGE), Pesquisa Anual de Comércio
  • PAC (IBGE), Pesquisa Anual de Serviços
  • PAS (IBGE), Pesquisa de Orçamentos Familiares
  • POF (IBGE), Pesquisa Industrial Anual - Empresa
  • PIA-Empresa (IBGE), Pesquisa Industrial Mensal
  • Produção Física
  • PIM-PF (IBGE), Pesquisa Mensal de Comércio
  • PMC (IBGE) e Pesquisa Mensal de Serviços
  • PMS (IBGE).

A partir do comportamento do PIB é possível fazer várias análises, tais como: 

  • Traçar a sua evolução no tempo, comparando seu desempenho ano a ano;
  • Fazer comparações internacionais sobre o tamanho das economias dos diversos países;
  • Analisar o PIB per capita (divisão do PIB pelo número de habitantes), que mede quanto do PIB caberia a cada indivíduo de um país se todos recebessem partes iguais, entre outros estudos.
  • Segundo o mesmo IBGE, o PIB é apenas um indicador síntese de uma economia.
  • Ele ajuda a compreender um país, mas não expressa importantes fatores, como distribuição de renda, qualidade de vida, educação e saúde.
  • Um país tanto pode ter um PIB pequeno e ostentar um altíssimo padrão de vida, como registrar um PIB alto e apresentar um padrão de vida relativamente baixo.

ASSINE o Correio do Estado e fique por dentro das notícias da economia brasileira