Economia

AVIAÇÃO

A+ A-

Empresa inaugura amanhã nova rota em MS

Empresa inaugura amanhã nova rota em MS

da redação

22/05/2011 - 00h01
Continue lendo...

A companhia aérea Asta inaugura, dia 23 de maio, nova rota em Mato Grosso do Sul, ligando as cidades de Cuiabá, Corumbá, Bonito e Campo Grande. A empresa opera há 16 anos nos Estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, onde sua unidade de carga, Logos Express, atende mais de 200 municípios dos dois Estados com serviço overnight.

A diretora-presidente da Fundação de Turismo de MS, Nilde Brun, considera positiva a implantação de uma nova rota aérea no Estado, tanto para o turismo quanto para a economia de Mato Grosso do Sul. Segundo Nilde, o trabalho conjunto desenvolvido pelo Governo do Estado, Secretarias e o setor privado resultou na atração de novas empresas e rotas aéreas para o Mato Grosso do Sul. Linhas aéreas regionais que ligam pontos turísticos vão proporcionar mais oportunidades aos turistas de conhecerem um maior número de roteiros consolidados. “A nova rota vai atender importantes cidades turísticas e proporcionar um fluxo maior de turistas para o Estado. Vai beneficiar o consumidor, a economia e o turismo”, garantiu.

A estratégia da companhia, segundo seu diretor-superintendente, Luis Roberto Silva, é ser uma empresa aérea de baixa demanda nas regiões da floresta Amazônica e Pantanal, conectando cidades de médio porte e elevado crescimento econômico, com capitais do Centro-Oeste e Norte do Brasil. Para isso, utiliza aeronaves C-208B - Grand Caravan Cessna (novas, entregues de fábrica à companhia) com capacidade para transportar nove passageiros.

Originária de uma empresa de táxi aéreo há mais de 20 anos no mercado de aviação – a América do Sul Táxi Aéreo -, a Asta vem alcançando em suas rotas comerciais de baixa demanda um nível de ocupação acima de 70%, acompanhando o ritmo nacional das companhias aéreas.

As passagens já podem ser adquiridas pelo site www.voeasta.com.br ao preço promocional de R$ 179, para qualquer trecho (Campo Grande-Bonito, Campo Grande-Corumbá, Cuiabá-Corumbá e Cuiabá-Bonito). A nova rota é servida por voos segundas, terças, quartas, sextas e sábados.

Economia

Haddad exalta agro, mas cobra mais investimentos para PIB seguir crescendo

Ministro cobrou mais investimentos para 2024. Segundo ele, o governo trabalha para melhorar o ambiente de negócios.

01/03/2024 19h00

Ministro da Fazenda, Fernando Haddad

Continue Lendo...

O ministro Fernando Haddad exaltou o papel do agro no resultado do PIB de 2023. Haddad diz que a produção agrícola foi um dos fatores que fizeram a economia rodar em 2023. O PIB cresceu 2,9% no período, segundo dados do IBGE divulgados nesta sexta-feira (1º).

Ministro cobrou mais investimentos para 2024. "É a forma mais saudável de crescer porque você não cria risco inflacionário. Aumenta a demanda de um lado, mas a oferta também".

Segundo ele, o governo trabalha para melhorar o ambiente de negócios.

A expectativa do governo para 2024 é um crescimento de 2,2%. Haddad avaliou que o afrouxamento da política monetária deve ajudar a economia, e que há espaço para mais cortes de juros e para mais crescimento.

Precisamos de investimento para fazer a economia rodar. Ano passado não foi investimento, foi produção agrícola, consumo das famílias, consumo do governo, exportações. Isso que puxou [o PIB]. Investimento foi a variável que menos acompanhou essa evolução.

Ministro Fernando Haddad

A economia brasileira se manteve estável e encerrou o ano com crescimento de 2,9%, totalizando R$ 10,9 trilhões. Relatório do FMI de setembro passado estimava que a economia brasileira cresceria 2,1% no ano.
Agro bateu recorde e puxou resultado para cima.

O setor subiu 15,1% entre 2022 e 2023, devido principalmente às lavouras de soja e milho.
 

Balanço

Planejamento: Resultado do PIB corroborou melhoria gradativa de expectativas ao longo do ano

O PIB per capita somou R$ 50 193,72, em valores correntes, um avanço em termos reais de 2,2% em relação a 2022

01/03/2024 17h00

O boletim também observa que o investimento registrou queda de 3,0%, a mais elevada desde o ano de 2016. Agência Brasil

Continue Lendo...

O resultado do PIB em 2023, que registrou avanço de 2,9%, corroborou a melhoria gradativa das expectativas ao longo do ano, de acordo com o boletim Indicadores Econômicos divulgado nesta sexta-feira, 1º, pelo Ministério do Planejamento.

"O crescimento do setor agropecuário foi o destaque no lado da oferta, assim como a continuidade do setor de serviços. Na ótica da demanda, deve-se destacar a elevação do consumo das famílias e do governo", disse a Pasta.

A nota destaca que o desempenho de 2023 é o terceiro ano de crescimento consecutivo após a pandemia da covid-19. " Em 2024, se não houver elevação da atividade em nenhum dos trimestres, o PIB brasileiro, ainda assim, irá crescer aproximadamente 0,2% (o chamado carrego estatístico)", diz o boletim.

A Pasta mencionou a alta de 15,1% da agropecuária, diante do crescimento da produção em várias culturas e ganhos de produtividade no setor, com avanço em várias culturas e ganhos de produtividade.

"Na ótica da demanda, chama a atenção a elevação do Consumo das Famílias (3,1%) - diante da elevação na massa salarial real, arrefecimento da inflação e programas governamentais de transferência de renda, do Consumo do Governo (1,7%) e das Exportações (9,1%)", descreve.

O boletim também observa que o investimento registrou queda de 3,0%, a mais elevada desde o ano de 2016. A taxa de investimento, em relação ao PIB, foi de 16,5% ante 17,8% em 2022 Já a taxa de poupança, que financia o investimento, foi de 15,4% em 2023 ante 15,8% em 2022.

O PIB per capita somou R$ 50 193,72, em valores correntes, um avanço em termos reais de 2,2% em relação a 2022.

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).