Economia
CRIME

Estado perde, anualmente, R$ 32,7 milhões por fraudes e furtos de energia elétrica

Se todo furto fosse eliminado, tarifa poderia ser reduzida em até 1,3% na fatura de consumidores, diz Energisa

Valesca Consolaro

04/08/2022 13:00

 

Dados apresentados pela Energisa, empresa responsável pela distribuição de energia da maior parte dos municípios de Mato Grosso do Sul, indicam que, anualmente, o Estado deixa de arrecadar  R$ 32,7 milhões em Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), devido à ocorrência de fraudes e furtos da energia.

Além disso, o mesmo levantamento mostra que se os furtos fossem eliminados, a tarifa poderia ser reduzida em até 1,3% na fatura de consumidores.

Esses números foram apresentados durante coletiva de imprensa, realizada nesta quinta-feira (04) na Sede da Energisa, promovida para alertar sobre a importância do combate ao furto e à fraude de energia.

Segundo o gerente de serviços comerciais da Energisa, Helier Fioravante, cerca de 12% da energia de é perdida em Mato Grosso do Sul, somando furtos e perdas técnicas.

Apenas em 2021, foram inspecionadas 69 mil unidades que recebem energia e, deste montante, em 25 mil, regularizações foram requisitadas.

Já para 2022, a empresa prevê que 83 mil unidades devem ser inspecionadas, estimando-se uma regularização de cerca de 30 mil.