Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BALANÇA COMERCIAL

Exportações de celulose chegam a 52,28% e sustentam a balança de MS

A carne de bovinos e outros produtos de carne ocuparam o segundo lugar de participação nas vendas
13/02/2020 11:00 - Thiago Gomes


 

As exportações de celulose atingem 52,28% do total de produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul no mês de janeiro deste ano, e continuam sustentando a balança comercial do Estado. Pela Carta de Conjuntura de fevereiro, divulgada pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), em relação ao volume vendido ao exterior, houve um crescimento de 21,25%, saltando de 386,4 mil toneladas em janeiro do ano passado, para 468,5 mil toneladas, em janeiro deste ano.

O principal município exportador do produto em janeiro foi Três Lagoas, com cerca de 58,49% dos valores exportados, com composição baseada principalmente nas exportações da indústria de papel e celulose.

O segundo, entre as principais mercadorias movimentadas ao comércio exterior, é a carne bovina e outros produtos de carne, com 18,4% de participação, com crescimento em termos de valor de 29,83% em relação a janeiro de 2019. Já em termos de volume, houve aumento de 13,37%, comparado a janeiro do ano passado.

De acordo com a Semagro, em se analisando o destino das mercadorias, os levantamentos apontam que houve uma concentração nas vendas para a China, que representaram em janeiro último cerca de 42,51% do valor total das exportações. Os países com maior aumento da participação foram Tailândia e Japão. A maior queda foi registrada na comercialização para a Holanda.

Ainda conforme a Carta de Conjuntura, a surpresa para o mês foi a venda de minério de ferro ao mercado externo, que cresceu 22%, caminhando na contramão do ano passado.  

PRODUTOS FLORESTAIS

Conforme a Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul), de um modo mais amplo o Estado é o segundo maior exportador de produtos florestais do País. No ano passado foram comercializados mais de US$ 2 bilhões, ficando atrás somente do Paraná. Em 2019, os itens florestais ficaram em primeiro lugar no ranking de exportações do agronegócio sul-mato-grossense, projetando o Estado como 2° maior exportador do segmento em todo o Brasil.  

Dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) mostram que a cadeia produtiva foi responsável por 40,6% da comercialização do setor no Estado – mais de 4,2 milhões de toneladas, resultando em US$ 2 bilhões em receita.  

A analista técnica do Sistema Famasul, Bruna Dias, destaca a importância da atividade para a economia estadual. “O produto florestal com maior destaque nas exportações é a celulose, que representou 97,7% do volume exportado em 2019”, afirma.

Ainda de acordo com o Mapa, Mato Grosso do Sul é responsável por 15,7% de participação na comercialização do setor no Brasil. “O estado é o segundo maior exportador de produtos florestais no ranking nacional, ficando atrás somente do Paraná”, explica Bruna.

Em 2019, o valor comercializado foi 3,6% superior ao acumulado de 2018, que resultou em uma produção de quatro milhões de toneladas e US$ 1,9 bilhões.

Também no último ano, a China foi o destino de 58,8% das exportações de produtos florestais de Mato Grosso do Sul e, em seguida, os Estados Unidos, com 10,14%.

Felpuda


As pré-candidaturas bizarras estão se espalhando nas redes sociais, nos perfis de quem acredita que esse tipo de “campanha eleitoral” poderá resultar em votos e até levar à conquista de uma vaga na Câmara Municipal de Campo Grande. Se antes isso era visto apenas no horário eleitoral na TV, agora está se espalhado como erva daninha nas redes. Como diria vovó: “Esse povo ainda se acha!” Afe!