Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CONTA MAIS BARATA

Falta de atualização em cadastro faz 53 mil famílias perderem benefício da tarifa social de energia elétrica

Tarifa social garante desconto na conta de energia para famílias de baixa renda
10/03/2020 16:36 - Glaucea Vaccari


Em Mato Grosso do Sul, 53 mil famílias de baixa renda cadastradas na tarifa social de energia elétrica perderam o benefício. Falta de atualização cadastral é o principal motivo para a revogação da tarifa social, que concede desconto na conta de energia, dependendo da faixa de consumo.

De acordo com dados da concessionária de energia elétrica do Estado, a Energisa, a atualização cadastral inclui o Número de Identificação Social (NIS), que precisa ser renovado a cada dois anos e pode culminar no cancelamento automático do programa federal.  

Além da não atualização de cadastro, também motivam a revogação do benefício o aumento da renda familiar e a expiração da validade do relatório médico dos clientes enfermos.  

Para manter o cadastro ativo, é necessário atualizar o NIS a cada dois anos, se enquadrar nos critérios de renda, não ter duplicidade na tarifa social e manter sempre em dia o relatório médico. Em casos de desatualização do NIS, o cliente deverá refazer a renovação do benefício da tarifa junto à Energisa.  

No Estado, 143 mil famílias de baixa renda estão cadastradas na tarifa social, mas segundo a concessionária, 83 mil têm potencial para integrar o programa e desconhece esse direito.  

Tarifa Social

O benefício garante desconto na conta de energia elétrica para famílias baixa renda, indígenas ou quilombolas, dependendo da faixa de consumo.

Quando for de até 30 kWh, o desconto será de 65%; quando for de 31 a 100 kWh, a redução será de 40%; quando atingir a faixa entre 100 a 220 kWh, o desconto será de 10%.

Podem participar do programa pessoas inscritas no Cadastro Único, que tenham renda inferior a meio salário mínimo; pessoas que possuem o Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social (BPC), ou ainda, pessoas com doença dependentes de aparelhos que demandem consumo de energia elétrica.

Para se inscrever é necessário comparecer a uma agência da Energisa, apresentar o Número de Identificação Social (NIS) atualizado, documento de identificação com foto e uma conta de energia elétrica. No caso de indígenas e quilombolas, é necessário o Registro Administrativo de Nascimento Indígena (RANI). 

 

Felpuda


Pré-candidato a prefeito de Campo Grande divulgou vídeo em que político conhecido Brasil afora anuncia apoio às suas pretensões. O problema é que o tal líder já andou sendo denunciado por mal feitos em sua trajetória, sem contar que o pai do dito-cujo teve de renunciar ao cargo de ministro por ter ligações nebulosas com empresa de agrotóxico. Depois do advento da internet, essa coisa de o povo ter memória curta hoje não passa de coisa “da era pré-histórica”.