Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ECONOMIA

Febraban diz que avalia tecnicamente entrada do WhatsApp no mercado de pagamentos

WhatsApp anunciou início de uma solução que permitirá o envio e recebimento de dinheiro diretamente pelo aplicativo
19/06/2020 03:00 - Estadão Conteúdo


A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) está fazendo uma avaliação técnica da entrada do WhatsApp, que pertence ao Facebook, no mercado brasileiro de pagamentos. "Desconhecemos os detalhes da operação do WhatsApp e estamos fazendo uma avaliação técnica. Não temos como nos pronunciar agora. Estamos fazendo uma avaliação", disse o diretor setorial de Tecnologia e Automação Bancária da Febraban, Gustavo Fosse, em coletiva de imprensa, nesta tarde.

O WhatsApp anunciou essa semana o início de uma solução que permitirá o envio e recebimento de dinheiro diretamente pelo aplicativo. O Brasil foi o primeiro País a receber a novidade, que a princípio, será oferecida aos portadores de cartões das bandeiras Mastercard e Visa emitidos por Banco do Brasil, Nubank e Sicredi. A Cielo fará o credenciamento das transações.

De acordo com Fosse, a Febraban vê o sistema de meios de pagamentos do Banco Central, o PIX, e open banking, que vai permitir o compartilhamento de dados bancários pessoais, como oportunidades. A entidade, que representa os bancos no Brasil, participa de comissões do Banco Central sobre os dois projetos, conforme ele, e 'vem apoiando fortemente' ambas as frentes.

"Vemos o PIX e o open banking como oportunidades de levar melhoria de atendimento, agregar mais clientes e fazer negócios diferentes", afirmou o diretor da Febraban.

 

Felpuda


Pré-candidato a prefeito de Campo Grande divulgou vídeo em que político conhecido Brasil afora anuncia apoio às suas pretensões. O problema é que o tal líder já andou sendo denunciado por mal feitos em sua trajetória, sem contar que o pai do dito-cujo teve de renunciar ao cargo de ministro por ter ligações nebulosas com empresa de agrotóxico. Depois do advento da internet, essa coisa de o povo ter memória curta hoje não passa de coisa “da era pré-histórica”.