Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ECONOMIA

Febraban diz que avalia tecnicamente entrada do WhatsApp no mercado de pagamentos

WhatsApp anunciou início de uma solução que permitirá o envio e recebimento de dinheiro diretamente pelo aplicativo
19/06/2020 03:00 - Estadão Conteúdo


A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) está fazendo uma avaliação técnica da entrada do WhatsApp, que pertence ao Facebook, no mercado brasileiro de pagamentos. "Desconhecemos os detalhes da operação do WhatsApp e estamos fazendo uma avaliação técnica. Não temos como nos pronunciar agora. Estamos fazendo uma avaliação", disse o diretor setorial de Tecnologia e Automação Bancária da Febraban, Gustavo Fosse, em coletiva de imprensa, nesta tarde.

O WhatsApp anunciou essa semana o início de uma solução que permitirá o envio e recebimento de dinheiro diretamente pelo aplicativo. O Brasil foi o primeiro País a receber a novidade, que a princípio, será oferecida aos portadores de cartões das bandeiras Mastercard e Visa emitidos por Banco do Brasil, Nubank e Sicredi. A Cielo fará o credenciamento das transações.

De acordo com Fosse, a Febraban vê o sistema de meios de pagamentos do Banco Central, o PIX, e open banking, que vai permitir o compartilhamento de dados bancários pessoais, como oportunidades. A entidade, que representa os bancos no Brasil, participa de comissões do Banco Central sobre os dois projetos, conforme ele, e 'vem apoiando fortemente' ambas as frentes.

"Vemos o PIX e o open banking como oportunidades de levar melhoria de atendimento, agregar mais clientes e fazer negócios diferentes", afirmou o diretor da Febraban.

 

Felpuda


Comentários maldosos nos meios políticos dão conta que duas figurinhas que se rebelaram contra os próprios colegas poderão ficar no sereno político e, de forma indireta, serem personagens das próprias manifestações.

Um deles defendeu a redução do número de vereadores, e o outro disse ter vergonha de exercer o cargo. Agora enfrentam altos e baixos na campanha eleitoral.