Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

COVID-19

Fechamento da fronteira pode levar cidade paraguaia ao colapso econômico

Salto del Guairá, na fronteira com Mundo Novo, depende 80% do fluxo de visitantes que vão fazer compras na cidade
08/06/2020 09:50 - Nyelder Rodrigues


 

O 'boom' econômico das duas últimas décadas criou uma expansão comercial de cidades na fronteira entre Brasil e Paraguai a ponto de transformar cenários urbanos bucólicos em movimentados centros de turismo de compra e vendas no país vizinho. Um desses casos é a cidade de Salto del Guairá, que faz divisa com a sul-mato-grossense Mundo Novo e com a paranaense Guaíra. Porém, todo esse crescimento está em xeque.

De acordo com reportagem publicada pelo jornal paraguaio ABC Color, a associação local de micro, pequenas e médias empresas está preparando um projeto para declarar uma "catástrofe econômica" na cidade caso o cenário atual de fechamento de fronteira não mude em um curto prazo. Os comerciantes reclamam da queda brusca das vendas e também da falta de ajuda governamental para encara o problema.

Com 80% da economia local dependendo do comércio típico de fronteira, sendo o fluxo de brasileiros no lado paraguaio é o principal gerador de renda, os relatos são de situação insustentável e até migração de famílias para outros locais em busca de sustento. "O fundo de garantia do Paraguai é uma grande mentira para o povo e as dívidas que contraímos estão nos encolhendo", afirmou ao ABC o empresário Victor Stanley.

Além dos comércios, os bancos da cidade também estão sofrendo as consequências do fechamento das fronteiras - medida sanitária tomada pelo governo paraguaio para impedir a propagação da covid-19 naquele país, diante do alto número de contágio no Brasil e do pequeno número de leitos com UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) no Paraguai. Reuniões online são realizadas rotineiramente com autoridades, mas sem resultado.

"Não são apenas as lojas quase todas fechadas. Na próxima semana a segunda agência bancária fecha neste ano. A primeira foi o Banco Atlas e agora o Banco Familiar. E eles não serão os últimos", lamenta outro líder empresarial local, Arnaldo Villalba, também em declaração ao ABC Color. O súbito aumento do dólar em relação ao real é tido como outro fator que deve prejudicar o comércio local em uma futura reabertura.

Salto del Guairá possui aproximadamente 40 mil habitantes e é a sede do departamento de Canindeyú. Atualmente, em sua fronteira com Mundo Novo existe uma grande aduana da Receita Federal justamente para o controle do comércio fronteiriço - até cerca de 15 anos atrás no local havia apenas uma guarita da PM (Polícia Militar) e o acesso acontecia por estrada de terra, evidenciando o crescimento da cidade.

Diferentemente de Pedro Juan Caballero, fronteira com Ponta Porã, Salto não possui conurbação com nenhuma cidade brasileira e possui uma capacidade de autossustento menor, já que sua expansão se deve basicamente ao comércio alimentado por visitantes em busca de produtos com valores mais baixos que no Brasil, graças a impostos mais baixos.

Felpuda


Nos bastidores, há quem garanta que a única salvação, de quem está com a corda no pescoço, é ele aceitar ser candidato a vice-prefeito em chapa de novato no partido. Vale dizer que isso nunca teria passado por sua cabeça, uma vez que foi eleito com, digamos, “caminhão de votos”. Se aceitar a imposição, pisaria na tábua de salvação; se recusar, poderá perder o mandato. Ah, o poder!