Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

LINHA INTERNACIONAL

Fronteira do Brasil com o Paraguai será reaberta em pontos estratégicos

Presidente da Câmara de Comércio de Pedro Juan Caballero afirma que empresários estão otimistas
16/09/2020 16:22 - Súzan Benites


A ministra da Indústria e Comércio do Paraguai, Liz Cramer, anunciou a criação de centros logísticos de compras nas cidades que fazem fronteira com o Brasil e Argentina. 

Os pontos de comércio estão sendo definidos pelas autoridades locais, mas serão aos mesmos moldes do que já acontece na linha internacional entre Pedro Juan Caballero e Ponta Porã, o consumidor faz a compra pela internet e recebe a compra nos locais definidos.

O presidente da Câmara de Comércio de Pedro Juan Caballero, Victor Barreto, disse que a expectativa é que as fronteiras sejam reabertas gradativamente. 

“Data não temos ainda, mas em outubro a gente acredita que vai flexibilizar primeiro em Ciudad del Este, Salto del Guairá e depois Pedro Juan Caballero”, ressaltou Barreto que ainda reforçou que mesmo com o dólar alto esperam turistas.  

“Estamos otimistas, porque mesmo com o dólar alto as pessoas vem comprar, mesmo que poucas coisa e isso  movimenta nossa economia. É bom para todo mundo”, concluiu.

De acordo com as informações do jornal ABC Color, a Direção Nacional de Aduanas está definindo as localizações dos centros de logística comercial que serão instalados nas áreas primárias das cidades fronteiriças com o Brasil.

O ministro das Relações Exteriores, Antonio Rivas, anunciou que será assinado nesta quarta-feira um acordo para autorizar os centros logísticos de fronteira. 

As vendas serão feitas on-line e os compradores poderão retirar seus produtos em pontos localizados na fronteira com o Brasil.  

Rivas confirmou que a reabertura gradual das fronteiras ainda está em curso.  

Os chamados “delivery na fronteira”,  funcionarão para os dois países. Tanto brasileiros poderão comprar on-line e retirar a mercadoria de carro nesses centros comerciais do lado paraguaio, quanto turistas paraguaios poderão fazer o mesmo.  

Convênio será firmado entre dois países

O convênio será firmado entre os dois países, Cramer explicou que ainda não estão definidos os pontos específicos onde esses centros serão instalados, mas a alfândega já tem vagas provisórias, que serão sempre nas zonas primárias. 

Ela também indicou que as negociações com o governo argentino para implementar a mesma modalidade nas cidades fronteiriças com a Argentina não estão avançando.

Ainda de acordo com as informações do ABC Color, o governo paraguaio avança na elaboração de um protocolo sanitário para permitir a entrada de turistas em Ciudad del Este pela Ponte da Amizade, que será exclusivamente para o comércio. 

O projeto foi anunciado na terça-feira e visa a reabertura “gradual, parcial e temporária” da fronteira com Foz do Iguaçu.

Delivery foi autorizado em julho

No dia 21 de julho foi autorizado o comércio entre Ponta Porã e Pedro Juan Caballero. Com a autorização delivery, brasileiros passaram fazer compras on-line nas lojas do País vizinho, e a entrega é feita em dois pontos instalados do lado paraguaio, próximo as cercas que dividem os países, sem que o consumidor tenha que entrar no território estrangeiro.

A retirada é feita apenas através destas tendas, com a entrada de brasileiros no Paraguai ainda proibida.

Os pontos de entrega de fronteira fazem parte do plano de revitalização econômica proposto pelo Ministério da Indústria e Comércio para cidades que dependem do comércio bilateral.

Desde o início do fechamento das fronteiras, comerciantes protestam contra a ação. 

 
 

Felpuda


A lista do Tribunal de Contas de MS, com nomes de gestores que tiveram reprovados os balanços financeiros de quando exerceram cargos públicos, está deixando muitos candidatos de cabeça quente.  Conforme previsto pelo Diálogo, adversários estão se utilizando de tais dados para cobrar, principalmente nas redes sociais, deixando alguns gestores na maior saia justa e tendo que se explicar. O eleitor, por enquanto, só observa. E dê-lhe!