Economia
COMBUSTÍVEL

Gasolina estaria 19% mais cara com privatização de refinarias da Petrobras, diz levantamento

O cálculo foi feito com base nos valores cobrados pela refinaria de Mataripe, na Bahia, antes e depois de sua privatização

FOLHAPRESS

13/05/2022 20:00

Levantamento realizado pelo Observatório Social da Petrobras, ligado a sindicatos de petroleiros, aponta que se as refinarias que fazem parte do plano de desestatização da Petrobras já tivessem sido privatizadas, estariam hoje vendendo a gasolina por um preço, em média, 19% mais caro do que o cobrado sob gestão da estatal. O diesel S-10, por sua vez, custaria 12% acima do valor atual.

O cálculo foi feito com base nos valores cobrados pela refinaria de Mataripe, na Bahia, antes e depois de sua privatização, em dezembro de 2021.

"Para chegar a esses números, levamos em conta o comportamento passado -antes da privatização- dos preços cobrados pelas refinarias em relação à Rlam [refinaria de Mataripe] e colocamos todos os valores em função do que é efetivamente cobrado pela Acelen, gestora da refinaria de Mataripe, desde 1º de janeiro de 2022", afirma o economista Eric Gil Dantas, do OSP e do Instituto Brasileiro de Estudos Políticos e Sociais (Ibeps).

Segundo ele, a simulação teve como premissa que as empresas compradoras das refinarias se comportariam tal como a Acelen na definição de preços.