Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

COMBUSTÍVEIS

Gasolina cai R$ 0,03 após redução de 9,5% nas refinarias, aponta ANP

Preço do litro do combustível vai de R$ 4,42 em Campo Grande a R$ 4,91 em Corumbá
14/03/2020 17:28 - Súzan Benites


 O preço médio do litro da gasolina ficou 3 centavos mais barato em relação a semana anterior, é o que aponta a pesquisa semanal da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Na primeira semana de março, compreendida entre o dia 1° e  7 o preço médio do litro do combustível custava R$ 4,55, enquanto nesta semana (de 8 a 14 de março) o preço médio ficou em R$ 4,527, diferença de R$ 0,031.

Em Campo Grande a média do litro do combustível ficou em R$ 4,424. Já em Corumbá o preço médio está próximo a R$ 5, o preço médio praticado na cidade é de R$ 4,919, indo de R$ 4,799 o preço mínimo e R$ 4,980 no máximo praticado nesta semana. Na região Sul do Estado, a gasolina custou em média R$ 4,676 em Dourados e R$ 4,801 em Ponta Porã. Enquanto em Três Lagoas o litro é comercializado por R$ 4,777.

Já o litro do etanol ficou praticamente igual nas últimas semanas em Mato Grosso do Sul. Conforme os dados da ANP, o litro estava cotado a R$ 3,624 na primeira semana de março. Enquanto nesta semana passou a custar R$ 3,616.

Na quinta-feira (12), a Petrobras que reduziu o preço da gasolina em 9,5%, ou R$ 0,1600 o litro, e do diesel em 6,5%, em R$ 0,1250 o litro nas refinarias a partir da sexta-feira (13) a medida que impactaria todas as praças no Brasil. A queda vem em resposta à drástica redução do preço do petróleo no mercado internacional e também diante do avanço do coronavírus no mundo e seus possíveis impactos na atividade econômica global.

CRISE

Desde o início do ano, a commoditie vem caindo de preço por causa do Covid-19 – que ameaça o crescimento da economia global – e mudou de patamar nos últimos dias por uma queda de braços entre a Rússia e a Arábia Saudita pelo volume de petróleo disponível no mercado. Nesta quinta-feira, por exemplo, o barril do petróleo operava por volta dos US$ 33, depois de ter aberto o mês de março em torno dos US$ 50.

Esta é a sétima vez no ano que a empresa promove reajuste em preço no litro da gasolina, e a quinta vez que altera o valor do diesel. O ajuste mais recente foi em 29 de fevereiro, quando a empresa reduziu em 4% o preço do litro da gasolina e em 5% o valor do litro do diesel nas refinarias.

A expectativa, agora, é quanto à redução de preços nas bombas nos postos de combustíveis, até mesmo por conta da recente crise envolvendo o setor, quando o governo do Estado aumentou a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias (ICMS) da gasolina e reduziu a do etanol para que houvesse maior competitividade – vantagem para o abastecimento com etanol. Mas muitos donos de postos foram acusados de aumentar irregularmente os seus preços para que não houvesse essa competitividade.

Ontem, ao ser indagado sobre os novos preços definidos pela Petrobras, o diretor do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis, Lubrificantes e Lojas de Conveniência de Mato Grosso do Sul (Sinpetro), Edson Lazarotto, disse que “ainda não temos, por enquanto, quando e quanto ocorrerá essa redução, pois ela ocorreu na ponta, ou seja, na refinaria, e foi na gasolina A; para venda é a gasolina C, que tem a mistura do etanol em 27% .

Ainda segundo ele, será preciso aguardar e ver o que a distribuidora vai repassar e quando. “Creio que amanhã [hoje] teremos uma informação mais real. Preferimos aguardar para não anunciar e criar expectativas que possam frustrar o consumidor final”, disse.

 

Felpuda


Lideranças de alguns partidos estão fazendo esforço da-que-les para fechar chapa com o número exigido por lei de 30% do total de vagas para as mulheres. Uma dessas legendas, por exemplo, tenta mostrar a “felicidade” das suas pré-candidatas, mas teme o fracasso, tendo em vista que o “chefe maior” é aquele que já mandou mulheres calarem a boca e disse também que a importância da sua então esposa na campanha eleitoral era porque apenas “dormia com ele”. Ô louco!