Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

AUMENTO

Gasolina sobe 10% na refinaria e litro deve ficar acima de R$ 4

Em Campo Grande, o combustível varia entre R$ 3,78 e R$ 3,99, antes do aumento
09/06/2020 09:30 - Súzan Benites


 

A Petrobras informou às distribuidoras que vai aumentar a gasolina em 10% a partir desta terça-feira (9) nas suas refinarias. O valor do litro vai subir, em média, em R$ 0,13,  nas refinarias de acordo com o Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis Automotivos (Sinpetro-MS) . O reajuste é o primeiro anunciado pela Petrobras em junho e soma-se a quatro aumentos consecutivos aplicados pela empresa para a gasolina em maio.  O sindicato aponta ainda que o aumento nas bombas deve ser de em média R$ 0,10.  

Conforme pesquisa da reportagem do Correio do Estado, o litro da gasolina comercializado em Campo Grande ontem variava entre R$ 3,78 e R$ 3,99. De acordo com o diretor do Sinpetro, Edson Lazarotto, o consumidor deve sentir alta de R$ 0,10 por litro, fazendo com que o litro volte a ultrapassar R$ 4.  

“Nas bombas deve refletir em média em torno de dez centavos.  Por ser um mercado de livre concorrência, devemos aguardar a posição de cada revendedor para chegar ao preço final”, explicou Lazarotto.

O aumento da estatal segue o movimento de alta do petróleo no mercado internacional da semana passada. Esta semana, a commodity opera em queda por dúvidas em relação ao real tamanho do corte de produção que será praticado em junho e julho. “O preço do barril de petróleo no mercado internacional subiu nos últimos dias 19% , e a Petrobras utiliza essa paridade para sua comercialização”, informou o diretor do Sinpetro.

Ontem, a commodity do tipo Brent, usada como parâmetro pela Petrobras, operava, cotada a US$ 41,79 o barril. Mesmo em baixa, o valor da commodity é quase o dobro do verificado em abril, quando chegou a ser cotado a US$ 20 o barril.

Lazarotto ainda reforçou que o aumento pode demorar a chegar aos postos de combustíveis. “Saiu novo reajuste que valerá a partir de hoje. Como os postos são os últimos elos dessa cadeia, geralmente pode ocorrer aumento imediato ou no transcorrer de dias, depende do mercado”, informou.  

VENDAS

Durante o período de isolamento social, os donos de postos apontaram queda de até 70% nas vendas. Com a grande oferta e a baixa procura, os preços foram reduzidos no período. Com a flexibilização das regras de isolamento e o retorno das atividades econômicas, houve um aumento na demanda, mas atualmente os donos de postos percebem uma estagnação.  

“As vendas continuam estagnadas, porque tem muitas empresas fechadas , com horários reduzidos ou em home office, escolas que ainda não reabriram, etc. As perdas no volume de comercialização estão na ordem de 35% a 40%”, contextualizou Lazarotto.

Enquanto a gasolina aumentou, as cotações do diesel não sofrem alterações nas refinarias. O levantamento realizado pela reportagem do Corri encontrou o litro do diesel S10 a uma média de R$ 3,10, variando de R$ 2,99 a R$ 3,19 em Campo Grande.  

Já o litro do diesel comum apresenta o preço médio de R$ 3,06, com preço mínimo de R$ 2,99 e máximo de R$ 3,19. O etanol custa entre R$ 2,78 e R$ 2,99, com preço médio de R$ 2,95.

PESQUISA  

Levantamento realizado semanalmente pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) apontou que o preço médio do litro da gasolina em Mato Grosso do Sul, entre os dias 31 de maio e 6 de junho, foi de R$ 3,95, variando entre o mínimo de R$ 3,74 e o máximo de R$ 4,50.  

Em quatro semanas o preço médio para o combustível subiu R$ 0,06. Entre os dias 10 e 16 de maio, o valor médio de comercialização era de R$ 3,89, enquanto na última semana foi a R$ 3,95 por litro.

A última vez em que o preço médio do combustível foi comercializado acima de R$ 4 foi na semana entre 26 de abril e 2 de maio, quando a média no Estado era de R$ 4,02.  

Os dados da Agência apontam ainda que o combustível mais caro é vendido em Corumbá. De acordo com a ANP, entre 31 de maio e 6 de junho, o litro da gasolina variou entre R$ 4,30 e R$ 4,50 na cidade branca, com preço médio de R$ 4,44. Enquanto o menor valor é comercializado em Campo Grande. Na Capital, o preço médio apontado pela pesquisa da Agência é de R$ 3,87 por litro, com valor mínimo de R$ 3,75 e máximo de R$ 3,98.  

PREÇOS NA ESTATAL

Nos primeiros dias de maio, o litro da gasolina era vendido nas refinarias a R$ 0,91, o menor preço praticado pela Petrobras desde 2004. Enquanto no dia 27 de maio, quando a Petrobras anunciou aumento de 12%, o litro passou a ser vendido a R$ 1,32. Com o novo aumento de 10% a partir de hoje, o litro deve ser repassado às distribuidoras por R$ 1,15, em média. 

 

Felpuda


Alguns pré-candidatos que estão de olho em uma cadeira de vereador vêm apostando apenas nas redes sociais, esperançosos na conquistados votos suficientes para se elegerem. A maioria pede apoio financeiro para continuar mantendo suas respectivas páginas, frisando que não aceita dinheiro público ou de político, fazendo com que alguns se lembrem daquela famosa marchinha de carnaval: “Ei, você aí, me dá um dinheiro aí, me dá um dinheiro aí...”. Como diria vovó: “Essa gente perdeu o rumo e o prumo”.