Clique aqui e veja as últimas notícias!

PESQUISA

De um mercado à outro, itens de higiene pessoal tem variação de até 330%

Pesquisa foi realizada pelo Procon-MS em 19 supermercados de Campo Grande
11/06/2021 13:02 - Naiara Camargo


Em pesquisa, equipe da Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon-MS) verificou variação de até 330% em produtos de higiene em estabelecimentos da Capital.

O levantamento de preços foi realizado em 19 supermercados de Campo Grande, no período de 12 a 31 de maio.

Últimas Notícias

De acordo com relatório, o aparelho de depilação da marca Gilette prestobarba rosa, com duas unidades, custa R$2,49 no supermercado Duarte e R$10,69 no supermercado Pires, o que representa variação de 329,32%.

O aparelho barbeador da marca Ultragrip, com duas unidades, tem variação de 317,73% de um estabelecimento à outro. O item custa R$12,49 no supermercado Extra e R$2,99 no supermercado Duarte.

O alvejante sem cloro da marca Vanish custa R$5,20 no Atacadão e R$16,98, o que representa variação de 226,54%.

O aparelho de depilação Gilette da marca Ultragrip, três unidades, da cor rosa custa R$8,99 no Assaí Atacadista e R$25,49 no Extra, o que consta variação de 183,54%.

A esponja de lã de aço da marca Assolan custa R$1,15 no supermercado Mister Junior e R$2,99 no Carrefour, o que indica variação de 160%.

O shampoo 400ml da marca Elseve custa R$9,98 no supermercado Morena Atacadista e R$21,98 no mercado Nunes. A variação é de 120,24%.

O lava roupas líquido 700ml da marca Refil possui variação de 121,44% de um estabelecimento à outro. Custa R$8,49 no supermercado Duarte e R$18,80 no Atacadão.

O superintendente do Procon Estadual, Marcelo Salomão, disse ao Correio do Estado que é imprescindível que o consumidor pesquise antes de realizar qualquer compra. 

“Pesquisar o preço é importante, mas não deve ser o único fator como tomada de decisão na compra de um produto".

"O consumidor deve observar se está dentro do prazo de validade, se os ovos não estão quebrados e se está guardado na temperatura ideal”, complementa.

Assine o Correio do Estado