Clique aqui e veja as últimas notícias!

MOVIMENTAÇÃO

Mato Grosso do Sul está entre os 10 estados que mais contrataram com carteira assinada em 2020

Também no saldo positivo, abertura de empresas no estado bateu recorde
28/01/2021 16:07 - Brenda Machado


O estado do Mato Grosso do Sul ficou entre os TOP 10 que mais contrataram com carteira assinada no ano de 2020.

A análise foi retirada de dados colhidos pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), publicado nesta quinta-feira (28).

Últimas Notícias

Segundo o levantamento, no ano passado, o estado preencheu 14.173 vagas de trabalho com carteira assinada.

O saldo positivo é resultado do intervalo entre as 213.034 contratações e as 198.861 demissões.

Os outros estados do país que ficaram à frente de Mato Grosso do Sul foram: Santa Catarina (53.050), Paraná (52.670), Pará (32.789), Minas Gerais (32.717), Goiás (26.258), Mato Grosso (21.970), Maranhão (19.753) e Ceará (18.546).

Contrariando as estatísticas trazidas pelo cenário da pandemia da Covid-19 no Brasil, Mato Grosso do Sul fechou 9 meses no azul e apenas 3 no vermelho, ou seja, com número maior em demissões.

Dentre os piores meses para o mercado estão dois que antecederam a crise, sendo abril (-6.992) e maio (-1.992), e, por último, dezembro (-1.933).

Além dos números positivos para as assinaturas em carteira de trabalho, também está a abertura de empresas em 2020.

Ao todo, o estado abriu 7.903 portas, mais um recorde para Mato Grosso do Sul, considerando a série histórica dos anos 2000.

O resultado foi 11,51% superior aos 7.087 novos CNPJs constituídos no mesmo período de 2019.

Do montante contabilizado no intervalo de janeiro a dezembro, 5.026 empresas são do setor de serviços, representando 63,6% do total, 2.540 são do comércio (32,14%) e 337 são indústrias (4,26%).

“A liderança ficou com os setores do comércio e serviços, então muitas pessoas aproveitaram o feeling de negócios anteriores para abrir empresas. É no momento de crise que muitas oportunidades são encontradas”., explica a economista da Federação do Comércio de Mato Grosso do Sul (Fecomércio-MS), Daniela Teixeira.

Assine o Correio do Estado