Economia
NOVA FÁBRICA GIGANTE

Mato Grosso do Sul será a maior região produtora de celulose de todo o mundo

Até o fim da década, Estado processará 10 milhões de toneladas por ano; mercado global é de 60 milhões de toneladas

Eduardo Miranda

23/06/2022 09:00

 

Mato Grosso do Sul se consolidará nesta década como a maior região produtora de celulose de mercado do Planeta Terra. 

Em 2028, quando a planta da Arauco localizada às margens do Rio Sucuriú, em Inocência, entrar em operação, o Estado estará produzindo nada menos que – pelo menos – 10 milhões de toneladas de celulose por ano, a maioria para o mercado externo.

Como antecipou o Correio do Estado na edição de ontem, multinacional de origem chilena, Arauco anunciou a construção de uma planta em Inocência com investimentos de US$ 3 bilhões (R$ 15 bilhões), cujas obras devem começar em 2024 e concluídas em 2028.

A chegada da gigante chilena do setor madeireiro e de celulose soma-se a outras duas unidades exportadoras do mesmo produto que já atuam no Estado: a Suzano, maior player global de celulose de mercado, e a Eldorado, que também tem um volume significativo de vendas para o mercado externo. 

A Arauco, diga-se de passagem, só perde para a Suzano em vendas globais de celulose de mercado.

Atualmente, Mato Grosso do Sul processa aproximadamente 5 milhões de toneladas de celulose por ano nas unidades da Suzano e Eldorado em Três Lagoas. 

Com as unidades da Suzano de Ribas do Rio Pardo, que está em construção e terá capacidade para processar 2,6 milhões de toneladas de celulose anuais, e com a mais nova planta da Arauco, o Estado se consolidará como a maior região produtora do mundo deste tipo de composto, que é cada vez mais usado na indústria.

“A celulose de mercado no mundo é de aproximadamente 60 milhões de toneladas, e o crescimento da demanda desse produto é de aproximadamente 3% ao ano. E o crescimento ocorre porque os usos a partir dela são cada vez mais importantes, em embalagens, papeis, fibras, roupas e muitos outros tipos de produtos”, explicou Carlos Altimiras Ceardi, diretor-presidente da Arauco Brasil.