Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

RECUPERAÇÃO

Mato Grosso do Sul tem 700 segurados em reabilitação profissional pelo INSS

Na Capital, INSS vai receber 60 próteses e órteses, avaliadas em R$ 1,2 milhão, para atender 56 pessoas que pretendem voltar ao trabalho
18/11/2020 08:30 - Súzan Benites


Mato Grosso do Sul tem atualmente cerca de 700 segurados em reabilitação profissional pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). 

O processo acontece quando o profissional que contribui ao instituto passa por algum acidente ou doença que limite o exercício de suas atividades laborativas. O próprio órgão pode apresentar um meio de reabilitar esse profissional para o retorno ao trabalho.

Conforme informou o instituto, a Unidade Técnica de Reabilitação Profissional (UTRP), em Campo Grande, vai receber 60 próteses e órteses para atender 56 segurados; o valor dos equipamentos é de aproximadamente R$1,2 milhão.  

De acordo com a técnica da UTRP Lilian Lessa Varandas, a maior parte dos segurados que passaram pela reabilitação profissional e receberão os equipamentos se envolveu em acidentes de trânsito.

 “Os segurados reabilitados recebem equipamentos de qualidade, que vão melhorar muito a mobilidade, e, ainda, todos terão a oportunidade de se qualificar e continuar trabalhando”.

O pregão eletrônico para a compra de equipamentos foi realizado em março e contemplou as gerências executivas de Campo Grande, Cuiabá, Goiânia, Anápolis, Distrito Federal, Palmas, Belém, Manaus, Porto Velho, Rio Branco, Boa Vista e Macapá, todas subordinadas à Superintendência Regional Norte/Centro-Oeste, com a aquisição de 278 itens no valor de R$ 22 milhões.

A pregoeira de Campo Grande, Edgahir Pereira Vilela Alves, explicou que muitos aguardavam há bastante tempo. 

“A gente se empenhou muito porque sabia que tinha segurados esperando há muito tempo. Infelizmente não conseguimos contemplar a totalidade dos que necessitavam dos equipamentos, mas chegamos ao porcentual de 90% ”.

A entrega provisória das próteses já foi realizada pelas empresas de ortopedia contratadas, para que os segurados possam experimentar e testar a adaptação. A entrega definitiva vai depender do retorno dos médicos peritos responsáveis na unidade.

“A satisfação desse trabalho é proporcionar uma nova vida às pessoas que se encontravam sem perspectiva por causa do acidente. Esse trabalho que o INSS faz é muito importante e pouco divulgado para uma sociedade. É o trabalho que mais gosto de fazer”, considera Edgahir.

Acompanhe as últimas notícias do Correio do Estado

Entrega

Na semana passada foram entregues próteses transtibiais e acessórios para segurados reabilitados. Segundo a técnica Lilian, a equipe participou de todas as etapas até a entrega das próteses.

“Na etapa da licitação foi dado o apoio técnico na análise das prescrições. No início do mês de março, cada gerência ficou responsável pela solicitação do ateste orçamentário. A ata de registro de preços contemplou 12 gerências executivas, mas a gerência de Campo Grande foi a primeira a realizar a entrega dos equipamentos”.

O processo todo levou cerca de oito meses.

 “O objetivo da entrega das próteses pelo INSS é o retorno dos segurados ao mercado de trabalho. Alguns já conseguiram retornar exercendo a mesma função e outros estão sendo treinados para o retorno. A maioria dos segurados é do sexo masculino e teve a amputação de membros inferiores devido a acidentes de trânsito em motocicletas. Não conseguimos iniciar a entrega das próteses antes devido ao fechamento das agências por causa da pandemia”.

Beneficiados

Os segurados do INSS que receberam os equipamentos apontam a expectativa de uma melhor qualidade de vida. Adailton de Oliveira, 31 anos, recebeu uma prótese para a perna esquerda. 

“Eu fiquei muito feliz, melhorou bastante para mim. No início é um pouco dolorido, mas depois a gente se acostuma. Gostei muito”. O segurado Sérgio Martinez, 37 anos, recebeu uma prótese para a perna direita e já está trabalhando como porteiro de condomínio. “Gostei muito e já me adaptei. Estou conseguindo caminhar bem e estou muito contente”, considera.

A atendente comercial Gabriela Amorim Domingo, 26 anos, comemora o fato de que voltará a realizar suas atividades.

“Eu achei a minha prótese maravilhosa, vou poder voltar a andar e realizar as minhas atividades, pois estava numa cadeira de rodas”, afirma.

O autônomo na área comercial Gilvan Pereira da Silva, 37 anos, relata que sofreu um acidente de moto há alguns anos e teve a perna esquerda amputada. 

“Achei bem confortável. Vai melhorar bastante a minha qualidade de vida. Eu faço parte de um grupo de ciclismo do bairro Nova Campo Grande, costumo pedalar cerca de 50 km por dia e essa prótese vai me ajudar muito”.

A funcionária do Tribunal de Justiça Gisele Christina Galves Nazetti, 40 anos, sofreu um acidente quando voltava do trabalho. Ela relata que ao descer de um ônibus articulado teve a perna direita amputada.

“Eu gostei muito da prótese, do encaixe, da adaptação, e a empresa é bem qualificada. Vai melhorar muito a minha qualidade de vida”.

Retorno

A reabilitação profissional é um serviço disponibilizado pelo próprio INSS e que tem por objetivo oferecer aos segurados que estão de alguma maneira incapacitados para o trabalho os meios necessários para a sua reeducação ou readaptação. 

O serviço é acompanhado por uma equipe multidisciplinar. Ao fim do processo de reabilitação, o INSS emite um certificado ao segurado, afirmando que ele passou pelo processo e que pode retornar ao exercício das atividades laborativas.

 
 

Felpuda


Figurinha cuja eleição estava sub judice trabalha intensamente para ter a votação legalizada. Isso acontecendo, garante uma das cadeiras de vereador. Assim, quem hoje foi proclamado eleito vai para a fila da suplência.

Caso isso ocorra, a figurinha que corre o risco não deverá ficar desamparada, pois deixou secretaria municipal para disputar as eleições e poderá ter a cadeira de volta em 2021. Agora, resta esperar para ver onde vai parar.