Economia

CAOS

A+ A-

Neve cancela mil voos em aeroportos europeus

Neve cancela mil voos em aeroportos europeus

ESTADÃO

22/12/2010 - 00h00
Continue lendo...

Às vésperas do Natal, milhares de passageiros continuam retidos nos aeroportos europeus por culpa do mau tempo, apesar do número de cancelamentos ter diminuído para mil em todo o continente, um terço dos registrados na segunda-feira.

Fontes da Eurocontrol afirmaram à agência Efe que a considerável melhora em relação ao dia de ontem, quando pousaram cerca de 3 mil voos dos 26 mil que são normalmente operados na Europa por dia, não está garantida para os próximos dias.

O aeroporto de Frankfurt, o maior da Alemanha, apresentava nesta terça uma situação similar à de ontem, com cancelamentos e atrasos de até cinco horas.

Milhares de passageiros seguiam assim retidos em seus terminais, onde foram colocadas cerca de mil beliches para que as pessoas pudessem dormir, enquanto o pessoal do aeroporto e da companhia aérea Lufthansa repartia sanduíches entre os presentes.

A normalidade voltou progressivamente aos aeroportos de Amsterdã, Paris e Bruxelas, onde se registraram apenas alguns atrasos, segundo a Eurocontrol.

Além do caos aéreo, o tráfego terrestre continua sendo problemático, inclusive no domingo a direção da companhia ferroviária Deutsche Bahn recomendou aos viajantes que evitassem pegar trens devido aos atrasos e aos cortes temporários em todo o país.

Alemanha

Na madrugada desta terça, dois trabalhadores da companhia morreram ao serem atingidos por um trem enquanto limpavam trilhos próximos à cidade de Colônia, na Alemanha.

As autoridades da Renânia do Norte-Vestfália -o estado mais populoso do país, no oeste da Alemanha - proibiram a circulação de caminhões de mais de 7,5 toneladas, e algum postos de gasolina do leste do país tiveram que fechar após ficarem desabastecidos.

Para complicar ainda mais a situação, o Serviço Meteorológico Alemão (DWD) previu que as precipitações de neve continuarão nas próximas horas no norte do país.

França

Em Paris, cerca de 4 mil pessoas tiveram que dormir nos dois aeroportos da capital francesa e em várias estações ferroviárias da cidade pela impossibilidade de embarcar nos aviões ou nos trens.

A ministra de Ecologia da França, Nathalie Kociusko Morizet, admitiu que os problemas nos dois aeroportos de Paris (Charles de Gaulle e Orly) não poderão ser resolvidos nas próximas horas pelos atrasos e cancelamentos causados pelos problemas nos aeroportos britânicos e alemães.

Os serviços meteorológicos anunciavam nesta terça-feira a passagem de uma nova frente fria pela França, e há o temor de que na próxima quinta-feira ocorram novas nevascas.

Reino Unido

No Reino Unido, as baixas temperaturas e a neve seguem causando problemas na rede de transporte, principalmente nos aeroportos, mas também na ferrovia que une a ilha com o continente.

O aeroporto mais prejudicado é o de Heathrow, onde centenas de pessoas passaram a noite no terminal.

No caso do Eurostar, serviço de trens de alta velocidade que liga Londres a Paris e Bruxelas, as atividades serão limitadas por causa das nevascas.

"Pedimos aos passageiros antecipadamente para se deslocarem antes do Natal ou que devolvam o bilhete, se a viagem não for essencial", indicou a companhia.

Bruxelas

Outro aeroporto importante na Europa, o de Bruxelas, opera com dificuldades, sobretudo pela escassez do produto anticongelante que é utilizado para evitar a formação de gelo nos aerofólios e nas caudas dos aviões.

Por isso, a companhia que gerencia o aeroporto decidiu racionar o material e permitir a saída de alguns voos, principalmente os que têm como destino os aeroportos europeus que não estão afetados pelo mau tempo.

A situação de caos provocada pela incapacidade de manter o tráfego aéreo levou a Comissão Europeia a criticar os responsáveis da gestão aeroportuária nesta terça-feira.

A situação "é inaceitável e não deveria se repetir", disse o comissário europeu de Transporte, Siim Kallas.


 

Economia

Aprovação de proposta sobre regulamentação para motorista de app não será fácil, avisa Lula

A proposta trará um piso mínimo de R$ 32,09 para os motoristas que trabalham com transporte de passageiro em veículos de quatro rodas, e alíquota de contribuição previdenciária de 27,5%

04/03/2024 16h34

Gerson Oliveira/Correio do Estado

Continue Lendo...

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, usou o exemplo da Espanha para alertar sobre as dificuldades para aprovar a proposta que regulamenta o trabalho de motoristas de aplicativo, apresentada pelo governo no período da tarde desta segunda-feira, 4. "Vocês se preparem porque a discussão aqui não será moleza", disse, ao comentar as dificuldades enfrentadas no legislativo espanhol para aprovação da regulamentação do trabalho dos motoristas.

Conforme adiantado pelo Correio do Estado, a proposta do governo trará um piso mínimo de R$ 32,09 para os motoristas que trabalham com transporte de passageiro em veículos de quatro rodas e alíquota de contribuição previdenciária de 27,5% (20% por conta dos empregadores e 7,5% dos trabalhadores), o que Lula classificou como "uma coisa pequena para a gente pagar".

Mais cedo, o ministro do Trabalho, Luiz Marinho, afirmou que o texto será encaminhado ao Congresso em regime de urgência, que estabelece prazo de 45 dias para análise do texto, trancando a pauta legislativa.

Negociação com bancos para financiar troca de carro

O presidente Lula ainda afirmou, durante cerimônia para apresentar a proposta de regulamentação do trabalho de motoristas de aplicativo, que o governo poderá negociar com bancos novas linhas de financiamento para este público.

"Daqui a pouco vamos discutir com os bancos como fazer para baratear uma linha de financiamento para trocar o carro de vocês", disse o presidente aos motoristas que estavam no Palácio do Planalto, frisando que passageiro não gosta de andar em carro velho. Em seguida, ele disse que o governo pode encaminhar a discussão.

O presidente também reforçou que o governo pressionará o Congresso pela aprovação do texto, afirmando que é necessário procurar os líderes de bancada para conversar sobre o projeto. "Da parte do governo, vamos fazer de tudo para aprovar o mais rápido possível", disse.

iFood

Lula cobrou o iFood a negociar com o governo para formatar uma proposta de regulamentação para o trabalho de entregadores que atuam na plataforma, a exemplo do que foi feito para os motoristas que transportam passageiros em veículos de quatro rodas.

"É prudente dono do iFood sentar em mesa de negociação para a gente fazer um bom acordo", disse em meio aos cumprimentos, quando comentou com o senador Jaques Wagner (PT-BA), líder do governo no Congresso, que a presidência da companhia é ocupada por um baiano, assim como Wagner.

Como o Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) mostrou na última semana não houve consenso com as empresas de entrega que operam com motociclistas para avançar no conteúdo e formatar uma proposta que atendesse à categoria.

Comércio aos feriados

Lula ainda afirmou que não é contra o trabalhador do comércio trabalhar nos fins de semana, mas isso não implica em obrigar os comerciários a trabalharem todos os sábados e domingos.

O governo enfrenta problemas com a edição, no ano passado, de uma portaria que proibiu o trabalho do comércio em feriados, que acabou revogada.

O ministro do Trabalho já afirmou, em janeiro, que essa portaria seria reeditada com mudanças, que vinham sendo negociadas com representantes dos trabalhadores e empregadores, o que ainda não ocorreu.

Economia

Governo deve liberar neste mês FGTS Futuro para compra da casa própria

Saiba como funciona, como calcular e o que falta para que ele comece a funcionar

04/03/2024 15h20

Gabriel Cabral/Folhapress

Continue Lendo...

O governo deve destravar o uso do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) Futuro na compra da casa própria ainda neste mês, disse à Folha a vice-presidente de Habitação da Caixa, Inês Magalhães.

Segundo ela, o tema deve ser tratado na próxima reunião do Conselho Curador do FGTS, convocada para 19 de março. A partir da decisão, em poucos dias a Caixa já terá condições de operar sob o novo modelo. O trabalhador poderá usar até 120 meses de depósitos futuros para melhorar suas condições de financiamento.

"O FGTS futuro vai ser importante, deve entrar na próxima agenda de março do Conselho Curador. Todos os estudos, tudo que é necessário para isso já está feito", disse. "A solução tecnológica já foi feita, era um dos desafios. Hoje só falta a decisão. Aí, a gente em poucos dias já consegue operar."

O FGTS Futuro consiste no uso dos depósitos futuros dos empregadores no fundo do trabalhador para compor renda e ajudar a pagar as prestações do financiamento contratado no âmbito do Minha Casa, Minha Vida.

A iniciativa passará por um período de teste, direcionado a famílias que compõem a faixa 1 do programa habitacional (com renda mensal de até R$ 2.640). Depois, o governo pretende avaliar a possibilidade de atender a todos os grupos, até o limite de renda familiar é de R$ 8.000.

A expectativa do governo é que cerca de 60 mil famílias com renda até dois salários mínimos sejam beneficiadas anualmente pela medida.

Segundo Magalhães, a regra será não ultrapassar os 30% de comprometimento de renda.

O principal gargalo, porém, é que muitas famílias hoje nem sequer alcançam este patamar. Após o estudo da capacidade de pagamento, considerando outros compromissos do lar, a prestação do financiamento que o banco se dispõe a conceder compromete um percentual menor que o teto de 30%.

Em outras palavras, isso significa que as famílias não estão conseguindo pleitear valores mais altos de financiamento porque sua capacidade de pagamento não suporta a parcela correspondente.

É aí que entra o FGTS Futuro. Os empregadores recolhem ao fundo um valor equivalente a 8% da remuneração bruta paga ao funcionário. O trabalhador não pode sacar esse recurso na hora que bem entender, mas a medida vai permitir que esse fluxo seja usado para ajudar no pagamento das prestações da casa própria.

Simulações feitas pela Caixa dão uma ideia do ganho de poder de compra das famílias com a mudança.

Todos os cenários consideram um trabalhador na faixa dos 30 anos, com renda familiar mensal de R$ 2.640 e morador da região Norte ou Nordeste (que tem acesso a uma taxa de juros subsidiadas de 4,25% ao ano).

Na simulação, o prazo de financiamento do imóvel é de 420 meses, enquanto o prazo de uso do FGTS Futuro é menor, de 120 meses.

Quando a capacidade de pagamento permite o comprometimento de 30%, isso significa que a família pode contratar um financiamento de até R$ 129,4 mil, arcando depois com uma prestação mensal de R$ 791.

No entanto, se análise só consegue alcançar um comprometimento de 22%, isso limitaria o valor total do financiamento a R$ 93,6 mil, para caber numa parcela de R$ 580 mensais.

Nesse caso, o uso do FGTS Futuro permitiria direcionar até R$ 211 mensais do fundo para o pagamento das parcelas. O incremento na capacidade de pagamento seria de até R$ 17,8 mil —ou seja, o financiamento total poderia chegar a R$ 111,4 mil.

"O FGTS Futuro pode ser uma saída para aumentar o valor que ele pode acessar. Isso vai ajudar, principalmente, as pessoas de menor renda. Pode ser uma linha divisória entre acessar ou não, ou acessar em melhor condição ou não esse financiamento", avalia a vice-presidente da Caixa.

Em outro cenário simulado pelo banco, uma família com renda de R$ 2.640 que só consiga aprovação para uma parcela de até R$ 633 (ou seja, um comprometimento de 24%) teria acesso a um financiamento total de R$ 102,7 mil.

O uso do FGTS Futuro neste caso proporcionaria um incremento de até R$ 13,3 mil no valor contratado, com direcionamento de outros R$ 158 mensais do fundo para o pagamento da prestação.

Em caso de demissão, a cobrança será pausada por até seis meses. Se o trabalhador não conseguir novo emprego com carteira (o que gera novo fluxo de recursos para o fundo) nem se responsabilizar pelo pagamento do valor complementar, ele ficará em situação de inadimplência.

A decisão de recorrer ao instrumento ou não é exclusiva do trabalhador e vale apenas para os novos contratos. A instituição financeira deve informar as condições de uso desses depósitos, uma vez que se trata de uma antecipação de recursos.

O FGTS Futuro foi instituído pelo governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) às vésperas do segundo turno das eleições de 2022 e regulamentado pelo Conselho Curador do FGTS, mas não foi colocado em prática.

Para destravar o uso do instrumento, o colegiado deve aprovar as novas regras propostas pelo Planalto, permitindo que a Caixa Econômica Federal libere o valor do FGTS do trabalhador.

Segundo Magalhães, o procedimento de pagamento era um desafio quando a primeira regulamentação foi aprovada, mas isso agora "está superado". Ela explicou que foi preciso parametrizar os sistemas para reconhecer um fluxo de recursos vindo de duas caixinhas distintas, uma do trabalhador e outra do fundo.

"Precisava fazer quase que um fluxo paralelo do recurso do FGTS, que, apesar de ser [administrado pela] Caixa, é uma coisa [à parte]. Toda gestão do FGTS é segregada do ponto de vista da instituição. É quase como se fosse de um outro banco para cá, tivemos que construir as pontes para que esse dinheiro chegue aqui no financiamento da pessoa física", afirmou.

Sob o ponto de vista dos bancos, o mecanismo terá uma lógica semelhante à do empréstimo consignado, já que o dinheiro será descontado do fundo e repassado automaticamente para o banco credor.

COMO FUNCIONA O FGTS FUTURO

A modalidade aprovada pelo Congresso Nacional em julho de 2022 permite que o trabalhador com carteira assinada complemente um financiamento habitacional com créditos futuros do FGTS como forma de caução;

Com o uso do FGTS Futuro, será possível reduzir o valor da prestação e aumentar a capacidade de pagamento em até 8% (valor depositado na conta do trabalhador do fundo mês a mês);

Inicialmente, famílias com renda mensal de até R$ 2.640 poderão utilizar o FGTS Futuro.

COMO É FEITO O CÁLCULO DO FGTS FUTURO

Pela medida, as parcelas futuras do FGTS poderão ser incorporadas à base de cálculo da capacidade de financiamento, como se fosse uma renda extra;

O banco fará uma simulação a partir dos depósitos mensais atuais do empregador à sua conta do FGTS em nome do trabalhador;

A diferença necessária para quitar a parcela será paga todo mês, de forma automática, pela Caixa Econômica Federal à instituição na qual o trabalhador fará o financiamento, com o dinheiro que iria para a sua conta no Fundo de Garantia gerenciada pela Caixa;

Pelas regras do Minha Casa, Minha Vida, o mutuário pode comprometer até 30% da renda familiar mensal como a parcela do imóvel. Por exemplo, se a família comprovar renda de R$ 2.640, poderá contratar até R$ 129,4 mil em financiamento e pagar parcelas de até R$ 791, segundo a Caixa;

Se, no entanto, sua capacidade efetiva de pagamento permite honrar uma prestação menor, de R$ 580 (22% da renda), o financiamento só com essa renda seria de R$ 93,6 mil;

O uso do FGTS futuro, neste caso, permitiria direcionar o fluxo de depósitos para cobrir a diferença de R$ 211 —nesse cenário, o incremento no valor do crédito seria de R$ 17,8 mil, elevando o empréstimo total a R$ 111,4 mil;

Os recursos do fundo ficarão bloqueados até o pagamento da dívida;

Se o trabalhador for demitido, ele terá de assumir a parcela que vinha do depósito do ex-empregador no FGTS. Se ficar inadimplente, pode perder o imóvel.

QUANDO O FGTS FUTURO COMEÇA A FUNCIONAR

Após ter sido aprovado pelo Congresso, o FGTS Futuro foi regulamentado em outubro do mesmo ano pelo Conselho Curador do FGTS. A expectativa era de que o benefício entrasse em vigor no primeiro trimestre de 2023, o que não ocorreu;

Para a medida começar a funcionar, a Caixa Econômica Federal precisa publicar as normas operacionais;

Segundo a Caixa, as regras serão definidas após o Conselho Curador aprovar os detalhes da nova regra do FGTS Futuro.

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).