Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

FCO

Conselho aprova financiamento de R$ 131,4 milhões para 95 novas empresas

Projetos incluem expansão da produção da avicultura e suinocultora e instalação de painéis solares
03/09/2020 11:27 - Glaucea Vaccari


Conselho Estadual de Investimentos Financiáveis pelo Fundo Constitucional do Centro-Oeste (CEIF/FCO) aprovou R$ 131.429.026,49 para o financiamento de 95 novos empreendimentos em Mato Grosso do Sul, nesta quarta-feira (2).

Entre as propostas aprovadas, 23 são empresariais, no valor de R$ 22.123.319,01 e 73 rurais, que totalizaram R$ 109.305.707,48.

Entre os projetos, destaques são para expansão da base de produção da avicultura e da suinocultora; projeto de uma indústria do setor de calcário em Bodoquena, e outro para instalação de painéis solares

Só na avicultura foram oito projetos aprovados, no valor de R$ 41.994.068,42, contemplando os municípios de Aparecida do Taboado, Rio Brilhante e Itaquiraí. 

Já na suinocultura, destaca-se a diversificação da base de produção de suínos, com os municípios de Jaraguari e de Bandeirantes.

De acordo com o secretário Jaime Verruck, da Semagro, e presidente do CEIF/FCO, há uma alta demanda do setor rural e 100% do recurso do fundo disponível para este segmento já foi utilizado.

“Mesmo assim, continuamos recebendo propostas e realizando as análises. No setor Empresarial, que foi o mais impactado pela Covid-19 entre março e junho, já apresenta sinais de melhora de performance neste segundo semestre”, disse.

De janeiro até 1º de setembro deste ano, R$ 937,4 milhões do FCO já foram aprovados para novos empreendimentos em Mato Grosso do Sul.

Além disso, foram liberados “R$ 21 milhões no crédito emergencial do FCO, num total de 909 contratações de micro e pequenas empresas. 

 
 

Felpuda


Figurinha está trabalhando intensamente para tentar eleger a esposa como prefeita de município do interior.

Até aí, uma iniciativa elogiável. Uns e outros, porém, têm dito por aí que seria de bom tom ele não ensinar a ela, caso seja eleita, como tentar fraudar folha de frequência de servidores. 

Afinal, assim como ele foi flagrado em conversa a respeito com outro colega, não seria nada recomendável e poderia trazer sérias consequências. Só!