Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PANDEMIA

Empresas aderem movimento para não demitir funcionários

Indústrias estão contratando funcionários temporários para substituir os afastados
19/04/2020 08:12 - Súzan Benites


Algumas indústrias em todo o Brasil começaram a fazer parte do movimento “não demita”, com a intenção de não demitir funcionários no período de crise econômica, causada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Em Mato Grosso do Sul, grandes empresas instaladas como a Suzano, a BRF e a Votorantim Cimentos aderiram ao movimento.

As empresas se comprometeram a não fazer demissões e cumprir com o pagamento de funcionários e fornecedores pelos próximos 60 dias, garantindo a renda de centenas de famílias sul-mato-grossenses.

As indústrias, além do compromisso de não demitir, estão contratando novos funcionários temporários para substituir aqueles que estão afastados por fazerem parte de grupos de risco.

Segundo a Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), as ações são monitoradas pelo Comitê de Gestão para Monitoramento das Ações da Pasta, criado para auxiliar na orientação ao setor produtivo e acompanhar, avaliar e orientar as ações desenvolvidas pela Secretaria no combate e na mitigação dos efeitos da pandemia.

Neste momento de incertezas, a Semagro trabalhada para manter a atividade econômica e os empregos de Mato Grosso do Sul, conforme informou o secretário da pasta, Jaime Verruck. “Iniciativas como estas tomadas por empresas de grande porte e com relevante participação na economia estadual são muito importantes para o Estado. Quanto mais conseguirmos manter os empregos e renda da população, mais rápida será nossa retomada econômica após a crise causada pela pandemia do coronavírus”, explicou o secretário.

De acordo com o CEO da empresa do setor de materiais de construção, Marcelo Castelli, a empresa assumiu o compromisso de manter seu atual quadro de empregados no Brasil até julho. “Nosso objetivo é tranquilizar nossos empregados e suas famílias, e contribuir para minimizar os impactos econômicos e sociais da pandemia do coronavírus. Seguimos firmes na luta contra o vírus, reforçando as medidas de higiene, saúde, proteção e segurança em todas as nossas operações e comunidades em que atuamos”, afirma o CEO Global da Votorantim Cimentos.

 Mais de 3.300 empresas já aderiram ao movimento,criado por empresários brasileiros com o intuito de preservar empregos durante a crise do Covid-19.

DEMISSÕES

Na contramão, conforme estudo publicado pelo Sebrae, aponta que 31,58% das micro e pequenas empresas de Mato Grosso do Sul precisaram demitir funcionários nos últimos 15 dias. Já a média de demissões, conforme o levantamento, é de 2,3 colaboradores por empresa.

Entre as atitudes tomadas neste período, 32,08% das empresas deram férias coletivas para os empregados. Já os que adotaram a suspensão do contrato de trabalho somam 20,75%.  Os que reduziram a jornada e o salário são 3,77% e os que ainda não tomaram nenhuma das medidas são 49,06%.

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.