Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CAMPO GRANDE

Para reforçar arrecadação, prefeitura empossa 40 novos auditores fiscais

Além de contribuir com a fiscalização, eles auxiliarão na arrecadação municipal
04/02/2020 11:10 - CAMILA ANDRADE


 

Para tornar a arrecadação municipal mais eficiente, além de contribuir com a fiscalização, 40 auditores fiscais assumiram seus cargos na Prefeitura de Campo Grande. O concurso teve o resultado divulgado no Diogrande n. 5.779, de 17 de dezembro de 2019. Com mais de 9 mil inscritos, na edição de 27 de janeiro de 2020 o Diogrande publicou a nomeação dos auditores fiscais, e o quadro de auditores fiscais subiu de 34 para 74.  Eles vão começar ganhando um salário de R$ 8,9 mil, mais as gratificações. 

Recentemente o Secretário de Finanças e Planejamento, Pedro Pedrossian Neto, declarou preocupação com a redução de 10% no repasse da receita do Imposto sobre Circulação sobre Mercadorias e Serviços (ICMS) pelo governo do Estado. Em 2020, a queda no porcentual de divisão resultará em R$ 40 milhões a menos no caixa do município. Para mitigar estas perdas, a prefeitura planeja reforçar a arrecadação com o Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS). 

“Então é uma preocupação muito grande, estamos buscando alternativas para compensar essa perda. Vamos continuar fazendo esse trabalho de aumento na eficiência da arrecadação dos tributos próprios. Vamos continuar o diálogo institucional junto ao governo do Estado”, disse Pedrossian Neto no ano passado. 

Para participar, o candidato deveria ter graduação de Nível Superior, em qualquer área de conhecimento. Dos 9 mil inscritos, foram aprovados 200 para as demais fases e exclusivamente para o Curso de Formação foram convocados 54 candidatos, que realizaram esta fase do dia 18/11 à 22/11. Sendo que no dia 22/11 foi aplicada a prova final do curso

Felpuda


É quase certo que a aposentadoria deverá ocorrer de maneira mais rápida do que se pensava em determinado órgão. O que deveria ser a tal ordem natural dos fatos acabou sendo atropelada por acontecimentos considerados danosos para a imagem da instituição. Os dias estão passando, o cerco apertando e já é praticamente unanimidade de que a cadeira terá de ter substituto. Mas, pelo que se ouve, a escolha não deverá ser com flores e bombons de grife.