Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CARNE

Queda no preço da arroba do boi não chega aos açougues

Preço dos cortes ainda variam entre R$ 19,90 e R$ 71,90 o quilo
10/12/2019 09:30 - SÚZAN BENITES


 

Após consecutivas altas, a arroba do boi gordo apresentou queda nas primeiras semanas de dezembro. Conforme dados da Scot Consultoria a arroba do boi gordo é cotada a R$ 187 nesta segunda-feira (9), enquanto no dia 29 de novembro o valor praticado em Mato Grosso do Sul era de R$ 207 a arroba, queda de10,52% em pouco mais de 10 dias. Apesar da queda no preço da arroba, os açougues e supermercados de Campo Grande não reduziram os preços para o consumidor final.

De acordo com a economista Adriana Mascarenhas o mercado é muito cíclico e varia conforme a demanda de oferta e procura. “A partir do momento que a carne sobe muito o consumidor tem essa tendência de buscar uma proteína de menor valor. Eu acredito que o consumo reduziu, o que aumentou a oferta e o mercado vai se ajustando”.

Conforme informações do Estadão Conteúdo, o  presidente Jair Bolsonaro disse nesta segunda-feira, que o preço da carne no mercado brasileiro deve cair. Bolsonaro justificou a alta pela entressafra. “É natural nessa época do ano a carne subir por volta de 10%. Subiu um pouco mais, tendo em vista as exportações”, disse o presidente.

O presidente e a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Tereza Cristina Dias, participaram de uma transmissão nas redes sociais na manhã desta segunda-feira. A ministra, de acordo com o Estadão Conteúdo, disse que a alta para os preços da carne bovina é temporária. “O senhor pode garantir à população que nós temos o maior rebanho comercial do mundo. Isso foi um período, uma seca, a entressafra do boi, mas a arroba já baixou para o produtor e agora o preço precisa baixar na gôndola. Não existe nenhum problema de abastecimento. Estamos vivendo um momento de transição de preço”, disse Tereza Cristina.

PREÇOS PRATICADOS

Nos supermercados, açougues e casas de carne de Campo Grande não houve redução nos preços da carne, pelo contrário, alguns cortes aumentaram, conforme a pesquisa realizada pela reportagem do Correio do Estado. De acordo com a pesquisa realizada no dia 29 de novembro, o quilo da picanha variava de R$ 39,90 a R$ 71,98. Nesta segunda-feira o menor e o maior preço encontrados foram os mesmos.

 O quilo da alcatra, por exemplo, subiu 5% no intervalo de 12 dias. No dia 29 de novembro o maior valor praticado era de R$ 34,98, já no dia 9 de dezembro o preço chegou a R$ 36,98. Já o mínimo se manteve em R$ 29,80.

Outro corte que aumentou no intervalo de pouco mais de dez dias foi a costela. Enquanto no dia 29 de novembro era possível encontrar a carne entre R$13,50 e R$ 14,98, na segunda semana de dezembro o quilo do corte variou entre R$ 14,35 e R4 15,98. 

O miolo de agulha também aumentou tanto o menor quanto o maior valor praticado na Capital. O menor preço encontrado há 12 dias  era de R$ 21,90, enquanto nesta segunda-feira o menor valor para o quilo do corte ficou em R$ 22,90. Já o maior preço, que antes era de R$ 24,40 agora custa R$ 25,90. O músculo se manteve com mínimo de R$ 19,90 o quilo, enquanto o máximo subiu de R$ 22,98 para R$ 23,79 em 12 dias.

Quanto a redução, foi verificada no preço da maminha. Enquanto no dia 29 do mês passado o quilo era comercializado a R$ 35 (menor valor), ontem  o quilo custava R$ 29,80. Já o maior valor praticado era de R$ 38,98 e nesta semana ficou em R$ 39,98.

VARIAÇÕES APONTADAS

Dados da Scot Consultoria apontavam que em 15 de outubro a arroba do boi gordo em Mato Grosso do Sul custava R$ 155,50. No dia 29 de novembro o valor praticado no Estado estava 33% maior e chegava a R$ 207. Nesta segunda-feira (9) o valor praticado  é de R$ 187 em Campo Grande e Dourados e R$ 185 em Três Lagoas, válidos para pagamento à vista e livre de Funrural

 

Felpuda


Figurinha está trabalhando intensamente para tentar eleger a esposa como prefeita de município do interior.

Até aí, uma iniciativa elogiável. Uns e outros, porém, têm dito por aí que seria de bom tom ele não ensinar a ela, caso seja eleita, como tentar fraudar folha de frequência de servidores. 

Afinal, assim como ele foi flagrado em conversa a respeito com outro colega, não seria nada recomendável e poderia trazer sérias consequências. Só!