Clique aqui e veja as últimas notícias!

LEVANTAMENTO

Preço da gasolina estabiliza nos postos do Estado após congelamento de tributos

Pesquisa da ANP aponta variação entre R$ 5,58 e R$ 5,999 no preço praticado em Mato Grosso do Sul
03/05/2021 15:04 - Rafaela Moreira


O preço médio de venda de gasolina comum nos postos de combustíveis de Mato Grosso do Sul registrou estabilidade em relação à semana anterior, após recente congelamento de tributos federais do produto. 

Nesta semana, o preço médio do combustível no Estado é de R$ 5,583, enquanto na semana anterior era de R$ 5,581, conforme o levantamento realizado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Foram pesquisados 51 postos no Estado, no período de 25 de abril a 01 de maio. O preço mínimo encontrado foi de R$ 5,379, enquanto o maior foi de R$ 5,999.

Na última semana, Mato Grosso do Sul congelou a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) dos combustíveis até o dia 15 de maio.  

Segundo o governo do Estado, a medida tem o objetivo de amenizar o impacto gerado no bolso do contribuinte, diante dos constantes reajustes de preço dos combustíveis que vêm sendo praticados pela Petrobras.

Na semana anterior, o valor médio do litro da gasolina era de R$ 5,581 em Mato Grosso do Sul.

Já o diesel comum é comercializado pelo preço médio de R$ 4,203 no Estado, indo do mínimo de R$ 3,889 ao máximo de R$ 4,649. 

Últimas Notícias

Além de congelar a pauta dos combustíveis, o Governo determinou ainda que o Procon-MS monitore os preços praticados nos postos de combustíveis no Estado, para saber se não estão cobrando preços abusivos. 

As ações de fiscalização seguem pela Capital e cidades do interior.

REAJUSTE 

Recentemente, a Petrobras reduziu o preço dos combustíveis nas refinarias, o litro do combustível vendido à distribuidora vai custar R$ 0,05 a menos, ou 1,9%, e está sendo comercializado, em média, a R$ 2,59.

Já o litro do diesel ficou R$ 0,06 mais barato, ou 2,2%, e passou a ser vendido às distribuidoras por R$ 2,71. 

Neste ano, a gasolina passou por oito aumentos, que já acumula alta de 43,47%. 

Até chegar ao consumidor final, o produto passa por acréscimos relativos a tributos federais e estaduais, mistura obrigatória com biocombustíveis e margens de lucro de distribuidoras e postos revendedores.

Assine o Correio do Estado