Clique aqui e veja as últimas notícias!

CEIA DE NATAL

Procon encontra variação de até 130% em produtos da ceia de Natal

Comparação foi feita em dez estabelecimentos de Campo Grande. Ao todo, 123 produtos foram analisados e a variação pode chegar a 130%.
14/12/2020 06:30 - Rafaela Moreira


O Procon Estadual encontrou grande variação nos preços dos produtos típicos na ceia de Natal. Equipes de pesquisa estiveram em dez supermercados da capital, e compararam preços de 201 produtos, entre aves, azeites, conservas, farofas, frutas em calda, panetones/ chocotones e bacalhau. A maior variação encontrada ultrapassou 130,11%.

O natal está próximo, período em que mesmo enfrentando dificuldades, muitas famílias se esforçam para manter a tradição de preparar ceias e reunir familiares, neste ano, em menor quantidade, sem aglomeração. 

Segundo a pesquisa, a farofa pronta Yoki foi a que apresentou maior diferença de preço. O produto de 500 gramas pode ser comprado por R$ 2,69 no Fort Atacadista, enquanto no supermercado Pires a farofa sai por R$ 6,19, uma diferença de 130,11%.

Acompanhe as últimas notícias do Correio do Estado 

Em segundo lugar ficou o aspargo verde de 190 g, com variação de 99,56%. O produto está sendo comercializado no Extra por R$ 40,49, e no Carrefour está disponível por R$ 20,29.

O produto que apresentou a terceira maior variação de preço foi a lentilha Yoki de 500g. No Pires o produto é vendido por R$ 13,55, e no Extra por R$ 6,99, uma diferença de 93%85. 

O tradicional peru de Natal, pode ser encontrado com preço de R$ 18,98 no Atacadão, e a R$ 22,90 no supermercado Nunes. A variação é de 20,65%%.

Entre os panetones/chocotones, um dos itens mais consumidos na época de Natal, a maior diferença foi de 42,69%. No supermercado Mr Junior, o panettone frutas Bauducco de 1kg é comercializado por R$ 43,95, já no Atacadão é possível encontrar o mesmo produto por R$ 30,80. 

Foram analisados 201 artigos da ceia de natal, mas divulgados os preços de apenas 123 produtos pelo fato dos outros 78 terem sido encontrados em apenas um nos locais onde o Procon Estadual realizou a pesquisa.  

Entre os 123 produtos analisados, 67 sofreram alta em comparação com o mesmo período de 2019, enquanto, 20 artigos tiveram diminuição nos preços.

O órgão informou que a pesquisa tem como objetivo permitir que os consumidores analisem os preços antes das compras, e consigam economizar.