Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PISCICULTURA

Projeto "PROPEIXE" prevê duplicar a produção de processamento até 2022 no Estado

Piscicultura contará com instrumento para aumentar a produção durante os próximos ano; projeto é esperança para secretários e produtores
08/10/2020 12:01 - Alicia Miyashiro


Para ajudar na produção, a piscicultura de Mato Grosso do Sul passará a contar com um instrumento de apoio. Desenvolvido pela Semagro, o Programa Estadual de Fortalecimento da cadeia produtiva do peixe (PROPEIXE) foi lançado nesta quarta-feira (7) e tem como objetivo aumentar o processamento de peixes até 2022.

Mato Grosso do Sul conta com 7 polos de produção de pescado, distribuídos nas regiões Norte, Centro, sudoeste, fronteira, Grande Dourados, e Cone Sul, a maioria destes, de pequenos produtores, com a Costa Leste tendo a maior produção de tilápia.

Atualmente, o Estado é responsável por 84,84% das vendas externas brasileiras de tilápia, liderando o ranking de maior exportador do produto.

O secretário Jaime Verruck, da Semagro, conta que o setor está em expansão “Temos investimentos sendo realizados em cinco municípios do Estado com previsão de início em 2021, o que mostra o potencial para crescimento do setor e a necessidade de apoio do Governo.”

Ele ainda explica que o programa foi construído no momento ideal e as principais metas para o PROPEIXE são dobrar a produção e aumentar a capacidade de processamento, para colocar Mato Grosso do Sul entre os 5 maiores produtores do país – hoje o Estado se encontra em oitavo.

O superintendente de Ciência e Tecnologia, Produção e Agricultura Familiar da Semagro, Rogério Berretta, informou que Mato Grosso do Sul tem hoje uma capacidade instalada para processamento de 40 mil toneladas anuais, e para produção, 23 mil toneladas.

Nos próximos dois anos esse valor deve subir para 62 mil toneladas, precisando produzir mais para atender essa demanda.

Já o Secretário de Aquicultura e Pesca do Mapa, Jorge Seif Junior, acredita que a produção de pescado gera emprego, renda e segurança alimentar. Além disso, se Mato Grosso do Sul consolidar a aquicultura e piscicultura por meio do PROPEIXE, se tornará referência federal, pois, apenas o Pará possui uma política semelhante.

Melhoria nos negócios

O PROPEIXE tem como objetivo a simplificação de normas e procedimentos, e também a adequação da carga tributária sobre o produto, visando uma maior competitividade.  

Entre outros serviços estão o apoio à visibilidade de crédito e recursos financeiros ao setor e premiação, nos moldes do Precoce MS e Leitão Vida.

Com o projeto, o Governo do Estado prevê uma produção de 35 mil toneladas de peixe para este ano, aumentando a capacidade de processamento para 37 mil toneladas em 2021.  

O titular da Semagro destacou que “o PROPEIXE traz uma política bem definida, com enfoque no emprego, renda, inclusão dos produtores e adoção de práticas sustentáveis de produção.”

 
 

Felpuda


Candidato a vereador caiu em desgraça, pelo menos em um dos bairros de Campo Grande, ao promover comício em ginásio de esporte, com direito a ônibus lotados e espoucar de muitos fogos de artifício.

Aí dito-cujo foi alvo de muitas críticas, tanto pela zoeira causada, como por ter mandado às favas quaisquer cuidados na prevenção da Covid-19, ao promover grande aglomeração. Irresponsabilidade é pouco, hein?!