Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

QUARTO LOTE

Receita paga amanhã R$ 73 milhões de restituição do Imposto de Renda em MS

Mais de 63 mil contribuintes de Mato Grosso do Sul recebem neste 4º lote
30/08/2020 14:33 - Glaucea Vaccari


Receita Federal libera, nesta segunda-feira (31) o pagamento do quarto lote de restituições do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) 2020. 

Em Mato Grosso do Sul, o lote contempla 63.332 contribuintes, totalizando o valor de R$ 78.694.456,41.

O valor é depositado na conta informada durante a declaração do imposto.

Recebem a restituição neste lote idosos, pessoas com alguma deficiência física ou mental, doença grave ou contribuintes cuja maior fonte de renda seja o magistério.

Além dos contribuintes que têm prioridade legal, também recebem os não prioritários que entregaram a declaração até o dia 19 de junho.

Em todo o Brasil, são 4.479.172 contribuintes que receberão a restituição neste lote, totalizando o valor de R$5,7 bilhões.

Consulta foi liberada no dia 24 de agosto.

A restituição fica disponível no banco durante um ano. 

Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá requerê-la por meio da Internet, mediante o Formulário Eletrônico - Pedido de Pagamento de Restituição, ou diretamente no Portal e-CAC, no serviço Meu Imposto de Renda.

Caso o valor não seja creditado, o contribuinte poderá contatar pessoalmente qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para a Central de Atendimento por meio do telefone 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para agendar o crédito em conta-corrente ou poupança, em seu nome, em qualquer banco.

O último lote tem pagamento previsto para 30 de setembro. 

Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deverá acessar a página da Receita na Internet

 
 

Felpuda


Tropas de choque ligadas a alguns vereadores estão agitadas que só nas redes sociais na tentativa de desbancar a concorrência das “chefias” que querem porque querem. Querem a cadeira maior da Câmara Municipal de Campo Grande. A da presidência.

Segundo políticos mais antenados, trata-se do “segundo turno” das eleições do dia 15 de novembro, só que com apenas 29 eleitores.