Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ECONOMIA

Live debate impactos e oportunidades da Rota Bioceânica

Rota bioceânica passará por Mato Grosso do Sul, Paraguai, Argentina e Chile
19/07/2020 17:06 - Glaucea Vaccari


Oportunidades e impactos da construção do Corredor Bioceânico serão debatidos por autoridades e pesquisadores, nesta segunda-feira (20), na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).

O debate será por meio de live, onde serão abordados aspectos econômicos, sociais e históricos da obra da rota internacional, que passará pelo Brasil, Paraguai, Argentina e Chile, e que deve promover integraçaõ comercial e culturalo entre os países.

A ação faz parte do projeto de pesquisa e extensão “Corredor Bioceânico” da UFMS e, na ocasião, serão apresentados estudos que estã sendo realizados no âmbito deste projeto.

Coordenador do projeto, professor doutor Erick Wilke, afirma que é uma oportunidade de levar o conhecimento produzido até agora para a população.  

“Teremos a participação de autoridades que vão falar sobre a importância do Corredor Bioceânico, os pesquisadores que vão apresentar os resultados parciais e esperamos a participação de representantes de entidades, empresários e a comunidade em geral que serão beneficiados por essa rota”, disse.

A pesquisa tem cinco eixos: economia, turismo, logística, direito e história, e são centradas em resultados para a promoção do desenvolvimento econômico e social nos locais por onde o corredor bioceânico passará.  

Entre as autoridades que participarão do debate estão o secretário estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck e o ministro de carreira diplomática do Ministério das Relações Exteriores, João Carlos Parkinson, que é o coordenador nacional dos Corredores Rodoviário e Ferroviário Bioceânicos, entre outros.  

Transmissão será a partir das 14h, no Facebook do projeto.

 
 

Corredor Bioceânico

Rota Bioceânica ligará, através de corredor de tráfego, o Brasil, o Paraguai, a Argentina e o Chile e consolidará uma rede rodoviária de corredores de transporte estruturados que vão dar mais competitividade dos países frente ao mercado internacional.  

O corredor consiste em uma rota rodoviária que possibilitará a conexão viária de Mato Grosso do Sul aos portos chilenos de Antofagasta e Iquique, no Pacífico.

Em junho de 2016, o Decreto nº110, aprovou o texto do Acordo entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Governo da República do Paraguai para a construção da ponte rodoviária internacional sobre o Rio Paraguai entre as cidades de Porto Murtinho e Carmelo Peralta.

No dia 21 de dezembro de 2018, o então presidente do Brasil, Michel Temer (MDB), e o do Paraguai, Mario Abdo Benítez, assinaram a autorização para a construção de duas pontes com recursos de Itaipu Binacional, sendo uma das pontes a sobre o Rio Paraguai em Porto Murtinho.

Em abril de 2020, a Comissão Mista Brasil-Paraguai aprovou a contratação do Consorcio Prointec para realizar estudo de viabilidade técnica, econômica e ambiental, projeto final de engenharia, cadastramento e fiscalização no contexto da construção da ponte sobre o rio e trabalhos complementares.

 

Felpuda


Apressadas que só, figurinhas tentaram se “apoderar” do protagonismo de decisão administrativa. Não ficaram sequer vermelhas quando se assanharam todas para dizer que tinham sido responsáveis pela assinatura de documento que, aliás, era uma medida estabelecida desde 2019. Quem viu o agito da dupla não pode deixar de se lembrar daquele pássaro da espécie Molothrus bonarienses, mais conhecido como chupim, mesmo. Afe!