Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

AGRONEGÓCIO

Safra de soja pode chegar a 10 milhões de toneladas e bater recorde

Demora no plantio da soja por conta de estiagem, porém, vai atrasar safrinha do milho
14/02/2020 13:08 - Daiany Albuquerque


 

A safra de soja 2019/20 de Mato Grosso do Sul tem expectativa de chegar a 10 milhões de toneladas, batendo todos os recordes de produção no Estado. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (14) pela Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso do Sul (Aprosoja/MS) e Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul)

De acordo com o presidente da Aprosoja, André Dobashi, apesar do atraso de até 21 dias no plantio da soja, a produtividade desta safra deve ser muito superior a passada. “Se a gente tiver uma estimativa de 52 sacos (por hectare de safra) a gente já teria um incremento de produtividade em função do aumento diário de 6% (de área plantada) que a gente já consolidou a campo”, afirmou. 

Porém, o número chegar a 56 sacas, como é a expectativa do setor, a produção pode ultrapassar os 10 milhões de toneladas. Com isso, se o Mato Grosso do Sul fosse considerado um país, ele ficaria entre os cinco primeiros produtores de soja do mundo. “Com o nível de tecnologia que a gente consegue a campo, graças às instituições de pesquisa, a gente estaria à frente até do Paraguai em produtividade, nós seríamos o quinto maior produtor mundial. Isso nos coloca em outro patamar de produtividade e produção, graças ao avanço de toda a tecnologia a campo, graças a toda contribuição acadêmica e graças ao esforço do produtor rural sul-mato-grossense”, avaliou Dobashi.

Ao todo, já foram colhidos 3,7% da área total plantada, valor ainda baixo para o período. A região com a colheita mais adianta é o norte do Estado, com 7,7%, entretanto também é a região que concentra a menor porcentagem de área total da safra, apenas 16%.

Já a região sul do Estado, que concentra quase 50% da área total de safra de soja tem apenas 2,7% colhido até esta semana. “Isso coloca o produtor num estado de alerta, onde as próximas duas semanas são de importância significativa”, disse o presidente da Aprosoja, salientando que é importante que os produtores não se descuidem dos protocolos de sanidade.

“É extremamente importante olhar o que a gente tem de intempérie dentro do nosso ambiente, não só climático, mas praga, doença e erva daninha. 

Essa semana foi observado a campo um início muito agressivo da ferrugem asiática nos campos. A gente pede para o produtor, não descuide dos protocolos de sanidade, não descuide das aplicações de fungicida, não postergue e não deixe de aplicar porque acha que a lavoura está salva, é nessa hora que as doenças de final de ciclo roubam aquela produtividade que a gente está precisando para ultrapassar os 10 milhões de toneladas”, explicou o produtor.

 
 

Esse atraso na colheita da safra da soja pode trazer alguns prejuízos no plantio do milho safrinha, que deve ser cultivado até o dia 10 de março, conforme recomendação de especialistas. Por conta disso, poderá haver redução na área plantada desde ano de até 9% em relação ao que foi cultivado de soja no Estado. 

“A gente faz a estimativa com base do que foi plantado de soja no mesmo período, porque a gente precisa incentivar o produtor a plantar na janela ideal, então o que a gente tem de estimativa é de redução de área em função de um obedecimento do produtor ao melhor período de plantio, isso posto, a gente não diminui a produtividade, a gente diminui a área plantada. Obedecendo ao período de semeadura a gente coloca a produtividade no mesmo patamar dos últimos cinco anos, em torno de 88 sacos por hectares”, avalia Dobashi.

Na safra 2018/19 da soja, em função de uma estiagem severa durante todo o período, a produção foi colhida muito cedo e assim o milho safrinha acabou tendo uma ótima produtividade no Estado por ter sido plantado na melhor época. Este ano, apesar do atraso, o presidente do Sistema Famasul, Mauricio Saito, diz ter otimismo com a produção.

“Nós tivemos um ano muito positivo, tivemos a conciliação de época boa de plantio, de condição climática muito boa também e isso fez com que Mato Grosso do Sul atingissem níveis bem elevados de produção de safrinha. Nós temos um sentimento bastante otimistas quanto às tecnologias de produção usadas pelo produtor rural, ao mesmo tempo que o atraso no plantio faz sim com que haja um prognóstico de diminuição de área e consequentemente uma diminuição de produção dentro do Estado. Mas tudo depende de como vamos ter o clima a partir de hoje até a data final que seria 10 de março. Nossa expectativa e otimismo estão muito grande, não só com relação a colheita da safra de soja 2019/20, mas também com a produção muito boa de milho safrinha 2020”, espera Saito.

Felpuda


Figurinha está trabalhando intensamente para tentar eleger a esposa como prefeita de município do interior.

Até aí, uma iniciativa elogiável. Uns e outros, porém, têm dito por aí que seria de bom tom ele não ensinar a ela, caso seja eleita, como tentar fraudar folha de frequência de servidores. 

Afinal, assim como ele foi flagrado em conversa a respeito com outro colega, não seria nada recomendável e poderia trazer sérias consequências. Só!