Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

ECONOMIA

Governo de Mato Grosso do Sul deve entregar 163 pontes de concreto até 2022

Investimento estimado na construção de travessias é de R$ 220 milhões
18/11/2020 09:30 - Naiara Camargo


Até 2022, 163 pontes de concreto devem ser construídas em Mato Grosso do Sul, com substituição de estruturas de madeira pelas de concreto. 

O objetivo é proporcionar segurança aos usuários, diminuir gastos em manutenção, garantir o transporte de produção do agronegócio e turismo, segundo o Executivo estadual.

A obra faz parte dos Programas “Mais Pontes” e “Governo Presente”.

Acompanhe as últimas notícias

No mandato de 2015–2018 de Azambuja, foram erguidas por volta de 100 estruturas, sendo elas 40 pontes construídas em caráter emergencial e outras refeitas devido à obras mal feitas de governos anteriores. Foram investidos mais de 105 milhões na realização dessas obras.

Mais 63 pontes serão entregues até o fim do governo, as quais 23 já estão em execução. O gasto calculado é de R$ 116 milhões.

As cidades já contempladas com as edificações foram Naviraí, Tacuru, Rio Brilhante, Sete Quedas, Novo Horizonte do Sul, Paranhos, Iguatemi, Ivinhema, Juti, Jateí, Dois Irmãos do Buriti, Guia Lopes da Laguna, Eldorado, Bela Vista, Deodápolis, Coronel Sapucaia, Amambaí e Caarapó.

“O nosso objetivo é melhorar o acesso aos municípios, proporcionar o escoamento da produção e oferecer segurança à comunidade e àqueles que cruzam as estradas do nosso Estado", disse Azambuja. 

“Optamos por fazer um governo responsável, diminuímos o tamanho da máquina pública, reduzindo os gastos com o próprio governo para investir no bem-estar da população e honrar nossos compromissos. Isso nos permitiu manter os investimentos nas obras prioritárias”, acrescenta o governador. 

 
 

Felpuda


Outrora bons de votos – faziam adversários temerem o confronto nas urnas –, agora, por mais que tentem, alguns políticos não conseguem, nem de longe, alcançar patamar de outros tempos e voltar ao que eram. 

O pior é que, a cada disputa, a preferência popular só vem diminuindo. Neste ano, a eleição municipal demonstrou que muitos já estão com prazo de validade vencido e rótulo gasto.

E faz tempo, hein?!