Clique aqui e veja as últimas notícias!

MERCADO FINANCEIRO

Dólar cai para R$ 5,02 e Bolsa recua 0,9%, menor patamar desde 10 de junho

A queda vem após a decisão do Banco Central de levar a Selic a 4,25% ao ano
17/06/2021 21:00 - FOLHAPRESS


O dólar cedeu 0,71%, a R$ 5,0240, nesta quinta-feira (17). Este é o menor patamar desde 10 de junho de 2020 (R$ 4,9398).

A queda vem após a decisão do Banco Central de levar a Selic a 4,25% ao ano. 

Esta foi a terceira alta consecutiva de 0,75 ponto percentual da taxa básica de juros. 

O BC anunciou a intenção de dar sequência ao aperto monetário com uma nova alta de pelo menos a mesma magnitude em sua próxima reunião, em agosto.

Os juros também reagiram à decisão do BC. Os contratos de juros futuros de curto prazo tiveram alta. 

O contrato para abril de 2022 subiu de 6% para 6,16% na sessão.

Últimas Notícias

Stefany Oliveira, analista da Toro Investimentos, disse que o posicionamento mais duro da autarquia foi favorável à moeda brasileira. 

"Quando os juros domésticos estão mais baratos é natural que haja fuga de capital, então o dólar se fortalece. Agora, quando acontece o contrário, e os juros sobem, o que tende a acontecer é um desconto na moeda americana em relação ao real", afirmou.

Segundo especialistas, há uma maior entrada de capital estrangeiro no mercado local com o aumento de juros principalmente devido a estratégias de carry trade. 

Elas consistem na tomada de empréstimos em moeda de país de juro baixo e compra de contratos futuros da divisa de juro maior. O investidor, assim, ganha com a diferença de taxas.

Fernando Bergallo, diretor de operações da FB Capital, lembrou que, até recentemente, o Brasil estava "numa situação de um prêmio muito baixo para o risco que o país oferece", referindo-se às mínimas históricas a que a Selic foi rebaixada em 2020. 

"Com esse ajuste do Banco Central, é natural que o real volte para patamares mais altos em relação ao dólar."

Além disso, "dados do PIB [Produto Interno Bruto] melhores do que o esperado catalisaram a queda do dólar para os patamares atuais", afirmou. 

"Os números surpreenderam o mercado positivamente, destravando muitos investimentos, e o fluxo cambial favoreceu o real."

No início deste mês, o IBGE informou que o PIB do Brasil cresceu 1,2% entre janeiro e março, terceiro trimestre seguido de ganhos, levando a economia de volta ao patamar do quarto trimestre de 2019, período pré-pandemia.

Nesta segunda (14), foi divulgado que o IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do BC) subiu 0,44% em abril na comparação com o mês anterior em dado dessazonalizado.

Agora, disse Bergallo, "o real está se beneficiando com uma janela temporária de trégua que pode perdurar ou não de acordo com os próximos passos do governo".

Segundo ele, embora a percepção sobre o crescimento econômico e a saúde fiscal do país esteja melhor, alguns investidores temem que a aproximação das eleições possa fazer o Executivo "abrir mão" de sua agenda de reformas estruturantes.

Refletindo a alta da Selic e também a reunião de política monetária do Fed (banco central americano), além da a queda das commodities, o Ibovespa caiu 0,93%, a 128.057,22 pontos.

As ações preferenciais (mais negociadas) da Petrobras recuaram 3,46% e as ordinárias (com direito a voto), 3,07%. 

No setor, Petrorio encolheu 4,54% e Braskem se desvalorizou em 5,38%.

O barril de petróleo Brent (referência internacional) cedeu 1,8%, para US$ 73,08, após fechar em sua máxima desde abril de 2019 na quarta.

A Vale cedeu 2,08%, ilustrando o descasamento com dados robustos de produção recorde de aço na China e no Brasil, já que investidores parecem agora mais preocupados com possíveis efeitos de uma alta de juros sobre a economia mundial, que começa a se levantar nos efeitos da pandemia da Covid-19, com condições de crédito menos frouxas no Brasil e no exterior.

Na mesma direção, CSN caiu 4,95%, Usiminas perdeu 2,32%. Gerdau, mais ligada à construção civil, também não resistiu e teve baixa de 3,78%.

A Eletrobras caiu 3,2%, em meio às discussões para votação no Senado da medida provisória da privatização da elétrica. 

Apesar de mudanças nos texto, o governo enfrentava resistências entre senadores. 

Após o fechamento da Bolsa, o Senado aprovou a constitucionalidade da matéria.

A Locaweb foi um destaque positivo da sessão, com alta de 4,79% depois que a XP emitiu relatório reforçando recomendação de compra para o papel. Magazine Luiza seguiu a trilha das ações globais de tecnologia e subiu 4,92%.

Nos EUA, o S&P 500 teve queda marginal de 0,04%, Dow Jones caiu 0,62%, e Nasdaq subiu 0,87%.

Na véspera o Fed indicou que a alta nos juros americanos deve vir antes do esperado, em 2023.

Assine o Correio do Estado