Esportes
AUTOMOBILISMO

Campeonato da Fórmula 1 pode ter cara nova com GP da Espanha

Maioria das equipes está trazendo novidades para os carros, que podem mudar a relação de forças entre elas

FOLHAPRESS

20/05/2022 09:17

Há muita expectativa para a sexta etapa do campeonato da Fórmula 1, neste final de semana, na Espanha. Não que as corridas no Circuito da Catalunha costumem ser das melhores em termos de emoção, mas sim porque a maioria das equipes está trazendo novidades para os carros, que podem mudar a relação de forças entre elas -tanto no meio do pelotão, quanto entre os líderes.

A McLaren espera dar um salto de até meio segundo com as novas peças que vão estrear em Barcelona. Aston Martin, Alfa Romeo e Mercedes também têm pacotes significativos. E a Ferrari terá sua primeira atualização desde o lançamento do carro em fevereiro.

O GP da Espanha tem sido escolhido pelas equipes nos últimos anos como o fim de semana perfeito para atualizar o carro por dois motivos principais: como é uma das pistas que recebem os testes de pré-temporada, é possível fazer comparações diretas, chamadas de "back-to-backs", com os dados obtidos em fevereiro. E também por ser, tradicionalmente, a primeira prova disputada na Europa, ou seja, próxima das fábricas das equipes.

Nesta temporada, a F1 já correu em Imola, e algumas equipes, como a Red Bull e Alpine, por exemplo, aproveitaram para estrear novidades na Itália. Porém, como se tratava de um fim de semana de sprint, a maioria dos times entendeu que era arriscado.

Neste ano, há ainda mais motivos para apostar na atualização dos carros em Barcelona. Por um lado, os carros ainda estão "verdes", já que as regras aerodinâmicas sofreram grandes mudanças neste ano. Mas ao mesmo tempo, as equipes não podem desperdiçar recursos, já que têm de ficar dentro do teto de 140 milhões de dólares. Então, quanto menos risco eles puderem correr com novas peças, certificando-se que elas possam ser testadas em uma pista sobre a qual eles têm mais informações, melhor.

Além disso, depois de quatro provas com intervalos de duas semanas entre cada uma delas, agora o campeonato da F1 entra em uma sequência de 8 GPs em 11 semanas. E as três próximas (Mônaco, Baku e Canadá), acontecem em circuitos bem específicos, nos quais é difícil validar novidades.