Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

FUTEBOL

Carrillo confia na seleção peruana no confronto com a brasileira

Atacante aguarda a volta do futebol e diz que torcida vai fazer falta
06/06/2020 11:32 - Agência Brasil


Vice-campeã da Copa América no Brasil, em 2019, a seleção peruana será a segunda adversária do Brasil nas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo do Catar (2022). No ano passado, os brasileiros levaram vantagem em duas oportunidades: na primeira fase da competição continental, o Brasil goleou por 5 a 0; na final, a vitória foi por 3 a 1. Mas no último confronto, em amistoso realizado em setembro, nos Estados Unidos, os peruanos ganharam de 1 a 0. As informações são da Agência Brasil. 

A reportagem conversou com Carrillo, atacante do Al Hilal, da Arábia Saudita, e da seleção do Peru. O jogador de 28 anos, que já teve passagem pelo futebol português, onde defendeu o Sporting e o Benfica, disse estar tranquilo com relação à pandemia e espera o desenvolvimento de uma vacina. Sobre o confronto com o Brasil, ele prevê que seja um jogo difícil, levando em consideração a qualidade dos jogadores brasileiros.

Sobre como está se sentindo em meio a pandemia, o jogador disse que está mais calmo e permanece em casa com a família. “Estou treinando todos os dias para manter a forma física. Estávamos todos muito preocupados com o caso da Arábia Saudita, mas tomaram medidas sanitárias muito rápidas e controlaram o vírus. Estamos tomando todas as medidas solicitadas pelo governo.

Sobre o retorno aos treinos e a comunicação com o técnico, Carrillo disse que todos do time estão bem e o contato é frequente. “ Estamos em contato permanente, todos bem. Esperando com muita vontade pelo retorno do futebol e cuidando de nossas famílias”. 

Sobre voltar aos jogos, Carrillo comentou que mesmo ao ‘novo normal’ acredita que não haverá problemas e o ritmo do jogo será recuperado muito rapidamente. “Será um sentimento esquisito, especialmente porque os torcedores do Al Hilal e do Peru sempre estiveram presentes nos jogos. Eu acho que haverá um tempo em que as coisas serão diferentes, mas tudo voltará ao normal. Nós apenas temos de nos adaptar à nova vida e esperar por uma vacina”, explicou. 

Sobre enfrentar a seleção brasileira, o jogador falou sobre o sentimento antes da estreia. 

“A equipe brasileira é muito competitiva e tem ótimos jogadores. Sempre será um adversário difícil de enfrentar. Mas em campo somos 11 contra 11 e esperamos obter um bom resultado quando jogamos”, finalizou. 

 

Felpuda


É quase certo que a aposentadoria deverá ocorrer de maneira mais rápida do que se pensava em determinado órgão. O que deveria ser a tal ordem natural dos fatos acabou sendo atropelada por acontecimentos considerados danosos para a imagem da instituição. Os dias estão passando, o cerco apertando e já é praticamente unanimidade de que a cadeira terá de ter substituto. Mas, pelo que se ouve, a escolha não deverá ser com flores e bombons de grife.