Esportes

Brasileirão

Com dois a mais, Atlético-PR empata sem gols com Joinville

Com dois a mais, Atlético-PR empata sem gols com Joinville

Continue lendo...

Em um jogo confuso, com quatro expulsos na Arena da Baixada, o Atlético Paranaense, com um jogador a mais desde o primeiro tempo, não passou de um empate sem gols diante do Joinville, perdendo seu lugar no G4 do Campeonato Brasileiro. Com 37 pontos, os donos da casa foram ultrapassados pelo São Paulo na classificação. Já o JEC, com 21 pontos, permanece na penúltima colocação, na zona de rebaixamento.

A partida começou sem emoção da Baixada, com o Furacão tendo a posse de bola na maior parte do tempo, mas sem a inspiração das últimas rodadas para atacar. Aos 10 minutos, o primeiro lance de real perigo. Marcos Guilherme recebeu na marca do pênalti passe açucarado e finalizou para grande defesa do goleiro Agenor, no puro reflexo. Aos 13, Sidcley abriu espaço para finalizar e mandou pela linha de fundo, com perigo.

O Atlético tentava se soltar, mas o JEC esperava qualquer erro para contra-atacar. Aos 15 minutos, Kadu tropeçou e deixou a bola para seu xará Kadu, que arrematou em cima de Weverton. Kempes partiu para a jogada individual, aos 24 minutos, entrou pelo meio da defesa atleticana e chutou no cantinho para mais uma defesa de Weverton.

Enquanto os catarinenses viviam seu melhor momento na primeira etapa, Diego, aos 28 minutos, recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso de campo. O Furacão, por sua vez, não conseguia aproveitar a vantagem numérica. O melhor em campo pelos donos da casa era o técnico Milton Mendes, que em duas ocasiões matou no peito a bola que saiu pela lateral e chegou a ensaiar algumas embaixadinhas. Aliás, quem teve a grande chance foi o Joinville, com Edson Ratinho, dentro da área, arrematando por cima da meta.

Precisando atacar, o Atlético-PR voltou para a segunda etapa com Ewandro no lugar do volante Deivid. Em sua primeira chance, aos três minutos, o atacante recebeu perto da área, dominou e chutou para fora. Aos cinco, foi a vez de Hernani arrematar de longe, para fora. Desespero em campo aos 15 minutos, com uma trombada de Lucas Crispim com Kadu. O jogador catarinense desabou no chão desacordado e saiu de ambulância, já consciente.

Com a bola rolando, aos 22 minutos, Edson Ratinho recebeu lançamento em liberdade mas, antes do arremate, o árbitro parou para marcar impedimento. O Furacão voltou a ganhar fôlego e tentava pressionar. Aos 28 minutos, Marcos Guilherme armou o chute de frente para o gol e Bruno Aguiar apareceu para salvar. Eduardo chegou pela direita, aos 36 minutos, viu a entrada de Walter, mas não conseguiu o passe.

Quando tinha praticamente 80% de posse de bola e pressionava, o Rubro-Negro paranaense perdeu o meia Marcos Guilherme expulso após se desentender na área com Alef, que também recebeu o vermelho. O clima era tenso, com muito bate-boca entre os atletas e algumas entradas mais fortes. Com 10 minutos de acréscimo, o Atlético teve tempo para buscar o gol, mas os jogadores do Joinville se entregaram totalmente à marcação para garantir o ponto fora de casa. Ainda deu tempo para Edson Ratinho ser expulso após chutar uma segunda bola para o gramado.

Na próxima rodada, o Atlético Paranaense enfrenta o Figueirense, quarta-feira, no Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis. Já o Joinville recebe no mesmo dia a Chapecoense, na Arena Joinville.

PARIS-2024

Judoca conquista vaga e MS terá sete atletas na Paralimpíada

Com mais duas vagas conquistadas no judô, a campo-grandense Kelly Kethyllin Victório foi convidada pelo Comitê Paralímpico Internacional (CPI) para competir nos Jogos de Paris deste ano

22/07/2024 12h15

A judoca Kelly Kethyllin Victório é mais uma atleta sul-mato-grossense na Paralimpíadas de Paris

A judoca Kelly Kethyllin Victório é mais uma atleta sul-mato-grossense na Paralimpíadas de Paris Foto: Ale Cabral / CPB

Continue Lendo...

A judoca sul-mato-grossense Kelly Kethyllin Victório, de 20 anos, foi convidada para competir nos Jogos Paralímpicos de Paris, após o Brasil conquistar direito de mais duas vagas na competição, e agora se junta aos outros seis atletas do Mato Grosso do Sul que irão representar o país na capital francesa entre os dias 28 de agosto e 8 de setembro deste ano.

A convocação foi anunciada na última sexta-feira (19) pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), que confirmou o recebimento e aceitação dos convites nominais enviados diretamente pelo Comitê Paralímpico Internacional (IPC, em inglês).

Natural de Campo Grande, Kelly faz parte da categoria até 70 kg da classe J2 (baixa visão) - mesma categoria da atual campeã paralímpica Alana Maldonado - e vinha integrando a seleção brasileira de base, do qual ela conquistou a medalha de ouro no Parapan de Jovens do ano ano passado, em Bogotá (Colômbia). 

A atleta é do Instituto Sul-Mato-Grossense para Cegos Florivaldo Vargas (Ismac-MS) e, segundo consta na sua breve biografia no site da Confederação Brasileira de Desportos de Deficientes Visuais (CBDV), ela nasceu com má-formação no nervo óptico, o que lhe causou baixa visão em ambos os olhos. 

Segundo a última atualização do ranking paralímpico divulgado pela Federação Internacional de Esportes para Cegos (IBSA, em inglês), Kelly ocupava a décima colocação e, com inelegibilidade de vários judocas que estavam à sua frente, ela foi chamada pelo IPC.

Além dela, a judoca paranaense Larissa Silva, de 24 anos, foi convocada. Ela luta na categoria até 57 kg da classe J1 (cegos totais) e atualmente ocupa a oitava posição no ranking da IBSA. Dentre suas principais conquistas, estão os bronzes no Pan-Americano da IBSA de Edmonton, no Canadá, e no Grand Prix de Nur-Sultan, no Cazaquistão, ambos em 2022.

Importante ressaltar que o judô é a terceira modalidade que mais rendeu medalhas ao país nos Jogos Paralímpicos, com 25 no total, sendo cinco de ouro, nove pratas e 11 bronzes. Na história, a delegação brasileira conquistou 373 medalhas (109 de ouro, 132 de prata e 132 de bronze), ou seja, neste ano deve chegar ao seu 400º pódio.

Kelly + sete

Além da judoca, outros sete atletas sul-mato-grossenses já estão com vagas garantidas em Paris. No dia 04 de julho, a CPB divulgou a primeira convocação para os Jogos e dois da canoagem estavam na lista: Débora Benevides, de Campo Grande, e Fernando Rufino, de Eldorado.

Uma semana depois, a segunda lista foi divulgada e quatro atletas estavam nela: Yeltsin Francisco Ortega Jacques e Gabriela Mendonça Ferreira, ambos de Campo Grande, e Paulo Henrique Andrade dos Reis, de Dourados, além da judoca criada na capital Érika Cheres Zoaga.

Além dos seis atletas acima, a professora de judô Anne Talitha Almeida Ferreira Silva foi chamada para ser auxiliar-técnica da delegação brasileira na competição. Faixa preta e profissional de educação física, ela trabalha desde 2006 com o treino de atletas paralímpicos na modalidade.

Assine o Correio do Estado

BRASILEIRO SÉRIE D

Costa Rica conquista classificação para a 2ª fase da quarta divisão

O CREC se torna o primeiro clube do Mato Grosso do Sul a avançar da fase de grupos pela segunda vez na Série D

21/07/2024 16h30

O representante do futebol sul-mato-grossense terminou a 1ª fase na quarta colocação do seu grupo, seguindo na disputa da quarta divisão

O representante do futebol sul-mato-grossense terminou a 1ª fase na quarta colocação do seu grupo, seguindo na disputa da quarta divisão Foto: Gustavo Costa - Costa Rica EC

Continue Lendo...

Jogando diante do seu torcedor no estádio Laertão, o Costa Rica Esporte Clube garantiu a classificação para a segunda fase do Brasileiro Série D após empate contra o São José (SP) na última rodada da fase de grupos. 

A Cobra do Norte avançou com a quarta melhor campanha do grupo 7, com 21 pontos conquistados em 14 rodadas. Estando no considerado "grupo da morte" o representante do Estado enfrentou pelo caminho equipes do interior paulista, Minas Gerais e do Paraná.

Com a conquista da classificação, o Costa Rica se tornou o primeiro clube do Mato Grosso do Sul que avançou para a 2ª fase da competição em duas edições (2022-2024).

A classificação do CREC foi decidida na última rodada do grupo, mesmo podendo depender de sí mesmo para chegar na segunda fase, caso conseguisse uma vitória contra o São José, o Costa Rica ficou no empate sem gols (0x0) jogando em casa. O resultado foi o suficiente para a Cobra do Norte se manter na zona da classificação devido a derrota de 1 a 0 do 5º colocado Santo André, que necessitava vencer o líder do grupo, o Maringá (PR).

Nos 14 jogos disputados pelo Costa Rica na primeira fase, o CREC venceu seis jogos, empatou 3 e perdeu cinco partidas. 

A campanha também foi marcada pela troca de treinadores, pelo caminho, três técnicos comandaram o representante do Estado na 1ª fase. Apesar de iniciar a campanha sem vencer e marcar gols nas três primeiras rodadas, a saída do treinador Gian Rodrigues e chegada do Alan George colocou o Costa Rica no caminho das vitórias.

Com o Alan George a equipe venceu a maioria das partidas, sendo duas delas contra o Água Santa, 2 a 0 em Diadema (SP) e 2 a 1 no município de Costa Rica.

No auge da campanha, após uma vitória de 3 a 0 na Patrocinense (MG) que deixou o CREC na 3ª colocação do grupo, o técnico Alan George comunicou a diretoria do Costa Rica que deixaria o cargo, alegando problemas familiares.

Pensando em manter os bons resultados, o Costa Rica chamou de volta para uma segunda passagem no clube, o treinador Rogério Henrique. A escolha vem dado certo, já que o elenco manteve o bom desempenho vencendo dois jogos importantes nas últimas quatro rodadas.

Nesta longa caminhada o Costa Rica marcou e 16 gols e sofreu 17, o artilheiro da equipe na Série D é o meia Roberto Baggio com três gols, junto com os atacantes Joelson e Lopeu que têm dois gols cada.

PRÓXIMOS PASSOS

O adversário do Costa Rica na segunda fase da Série D será o primeiro colocado do grupo 8, o Cianorte, o time do Estado do Paraná terá a vantagem de decidir a classificação no seu mando de campo. O primeiro confronto acontece em Mato Grosso do Sul no próximo final de semana.

Na primeira fase, os 64 clubes foram divididos em oito grupos de oito participantes. Em cada uma das chaves, os quatro primeiros se classificaram para a segunda fase do torneio, que vai reunir 32 clubes. Depois, os 16 que avançarem vão para as oitavas de final.

A partir das quartas de final é disputado os jogos do acesso, quando os quatro clubes classificados desta fase vão para as semifinais e se garantem na Série C do Brasileiro de 2025. Depois das semifinais, as finais decidem o campeão do campeonato.

SAIBA

Em 2022 o Costa Rica disputou pela 1ª vez o Brasileiro Série D, conseguindo chegar na 2ª fase na 3ª colocação no grupo 5, que foi disputado contra equipes do centro-oeste do país.

Na 2ª fase o CREC foi eliminado na época pelo Bahia de Feira, empatando em 0 a 0 no primeiro confronto, e perdendo de 2 a 1 na partida de volta. 

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).