Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TAÇA RIO

Com três gols de Cano, Vasco vence o Macaé por 3 a 1

Resultado deixou o Vasco na terceira colocação do Grupo B
28/06/2020 18:00 - Estadão Conteúdo


O Vasco está vivo na Taça Rio, o segundo turno do Campeonato Carioca. Em dia inspirado do atacante argentino Germán Cano, que anotou os três gols dos mandantes, o time do técnico estreante Ramon Menezes venceu o Macaé por 3 a 1, no estádio de São Januário, no Rio de Janeiro, pela quarta rodada.

O resultado positivo deixou o Vasco na terceira colocação do Grupo B com cinco pontos, um a menos do que o vice-líder Madureira, derrotado pelo Resende por 2 a 0. O Macaé, por sua vez, caiu para a sexta e última colocação com três.

O primeiro tempo foi de Germán Cano. Ele começou a brilhar aos 12 minutos, após Yago Pikachu ser derrubado na área por Vladimir Na cobrança de pênalti, o argentino bateu firme no lado direito e não deu chances ao goleiro do Macaé.

Aos 20 minutos, Cano aproveitou chute torto de Benítez e fez de carrinho o seu segundo gol no jogo. O Macaé acordou aos 34. Alexandro cabeceou com perigo, mas Fernando Miguel fez uma grande defesa. No lance seguinte, porém, o goleiro do Vasco falhou e Jones diminuiu para os visitantes.

A alegria dos visitantes, no entanto, não durou muito. Cano aproveitou rebote e marcou mais um aos 42 minutos. Ele chegou ao oitavo gol na temporada, sendo o quinto no Campeonato Carioca. O artilheiro ainda acumula dois gols na Copa do Brasil e um na Copa Sul-Americana.

O segundo tempo foi mais tranquilo, com destaque para as substituições. No Campeonato Carioca, os clubes estão autorizados a mexerem cinco vezes cada. O primeiro grande lance de perigo foi aos 27 minutos, quando Andrey acertou a trave. Sem novas chances, o Vasco garantiu o triunfo.

Na quinta e última rodada da Taça Rio, o Vasco fará confronto direto contra o Madureira, novamente em São Januário, nesta quarta-feira. No mesmo dia o Macaé receberá o Fluminense.

 

Felpuda


Mesmo sem ter, até onde se sabe, combinado com o eleitor, candidato a prefeito começou a apresentar nomes do seu ainda hipotético secretariado, pois parece estar convicto de que conseguirá vencer a disputa.

Os adversários dizem por aí que ele está muito distante de “ser um Jair Bolsonaro”, que, ainda na campanha eleitoral para presidente da República, já falava em Paulo Guedes para ser seu ministro de Economia. Como sonhar é permitido