Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TAÇA RIO

Com três gols de Cano, Vasco vence o Macaé por 3 a 1

Resultado deixou o Vasco na terceira colocação do Grupo B
28/06/2020 18:00 - Estadão Conteúdo


O Vasco está vivo na Taça Rio, o segundo turno do Campeonato Carioca. Em dia inspirado do atacante argentino Germán Cano, que anotou os três gols dos mandantes, o time do técnico estreante Ramon Menezes venceu o Macaé por 3 a 1, no estádio de São Januário, no Rio de Janeiro, pela quarta rodada.

O resultado positivo deixou o Vasco na terceira colocação do Grupo B com cinco pontos, um a menos do que o vice-líder Madureira, derrotado pelo Resende por 2 a 0. O Macaé, por sua vez, caiu para a sexta e última colocação com três.

O primeiro tempo foi de Germán Cano. Ele começou a brilhar aos 12 minutos, após Yago Pikachu ser derrubado na área por Vladimir Na cobrança de pênalti, o argentino bateu firme no lado direito e não deu chances ao goleiro do Macaé.

Aos 20 minutos, Cano aproveitou chute torto de Benítez e fez de carrinho o seu segundo gol no jogo. O Macaé acordou aos 34. Alexandro cabeceou com perigo, mas Fernando Miguel fez uma grande defesa. No lance seguinte, porém, o goleiro do Vasco falhou e Jones diminuiu para os visitantes.

A alegria dos visitantes, no entanto, não durou muito. Cano aproveitou rebote e marcou mais um aos 42 minutos. Ele chegou ao oitavo gol na temporada, sendo o quinto no Campeonato Carioca. O artilheiro ainda acumula dois gols na Copa do Brasil e um na Copa Sul-Americana.

O segundo tempo foi mais tranquilo, com destaque para as substituições. No Campeonato Carioca, os clubes estão autorizados a mexerem cinco vezes cada. O primeiro grande lance de perigo foi aos 27 minutos, quando Andrey acertou a trave. Sem novas chances, o Vasco garantiu o triunfo.

Na quinta e última rodada da Taça Rio, o Vasco fará confronto direto contra o Madureira, novamente em São Januário, nesta quarta-feira. No mesmo dia o Macaé receberá o Fluminense.

 

Felpuda


O sumiço de algumas figurinhas carimbadas da política não acontece em virtude da necessidade de isolamento como uma das formas de prevenção à pandemia. Em verdade, seria porque não têm mesmo o que e a quem falar. Com o advento das redes sociais, quem acha que fazer campanha eleitoral continua como na época do “eu prometo” está a um passo de ver o sonho de conquistar mandato se transformar em pesadelo. Pelo jeito, não estão nem conseguindo dormir.